Não sou valorizada no trabalho

desabafos de problemas no emprego e trabalho

Estou muito desanimada com a forma como tenho sido tratada em meu trabalho, corro, faço meu melhor tento atender a todos a fazer tudo que me é pedido e um pouco mais no entanto, só recebo críticas, e mais trabalho, como eu estava sobrecarregada minha chefe contratou uma estagiária, foi a pior coisa que poderia ter acontecido, continuo sobrecarregada pois a estagiária enrola bate papo com todo mundo não me ajuda, não faz o que foi atribuído a ela o que interfere diretamente no meu trabalho logo eu tenho que fazer o trabalho dela, faz cara feia quando é corrigida, e se faz de vítima como se eu estivesse implicando com ela, dessa forma conseguiu o apoio dos demais colegas de trabalho e se abro a boca para falar qualquer coisa com minha chefe ela faz parecer que é um exagero de minha parte. Sou ótima funcionária, não sou perfeita, mas sou esforçada, pontual, trabalhadora e procuro respeitar a todos mas parece que isso não é o bastante Estou me sentindo muito desrespeita e desvalorizada, adoro o local que trabalho mas começo a pensar em trilhar outros rumos. Alguém sabe o que pode estar errado com minha postura? o que devo fazer para que reconheçam o meu valor ou ao menos para que eu não me importe tanto com isso?

7 COMENTÁRIOS

  1. Chama a estagiária e bota ela pra trabalhar, se alguém achar ruim, você se faz de vítima. Deixa o pessoal falar, faça o seu trabalho independente do que os seus colegas falem. Se fossem eles no seu lugar, tenho certeza que não iria gostar do que fazem com você.

  2. Seu valor não deve estar na postura alheia, mas na sua. Você sabe que trabalha corretamente. Orgulhe-se disso de modo sereno e fim.
    “Se o mundo me compreende, ótimo. Eu sigo adiante e fico feliz. E se o mundo não me compreende, ótimo também. Não vou parar por isso. Sigo adiante e do mesmo modo fico feliz.”
    Pense nisso. E pense que para que ‘o mundo nos compreenda’ nossa linguagem deve o mais clara possível, especialmente no ‘mundo corporativo’.
    Levante a cabeça, dê conta das suas terefas sem ‘colocar sangue pelo nariz’ ao final do dia pelo exageros, querida.
    Sua chefe está lá para saber quem trabalha e quem não trabalha. E se as suas tarefas são ‘nominais’, a sua produção poderá ser verificada em numeros a qualquer tempo.
    Assim também quanto à estagiária.
    Se possível dê ‘numero e nome’ às tarefas dela. Responsabilize-a nominalmente pelas tarefas que forem atribuidas a ela, de tal modo que fique numericamente visivel a produção diária dela.
    Tome um tempo para organizar uma estratégia de trabalho talvez mais ‘transparente’ no que diga respeito a você e à estagiária que lhe foi confiada. E se ela foi confiada a você, deve exigir desempenho dela. E se ela for insuficiente, deve levar isso em numeros aos seus superiores.

  3. Primeiro: Ninguém te desrespeita se vc não permite. Até a funcionária não te obedece! Isso deve ser corrigido. Se imponha. Não importa se vão achar que vc é uma megera. A chefe sempre passa uma imagem exigente. Se vc for legal, vai conquistar o carinho e respeito de todos, aos poucos. Primeiro vem a desconfiança “Quem ela pensa que é para me dar ordens?!” “Ela se acha!” ” Ela é uma bruxa!”. E depois começa a nascer a admiração. “Mas ela trabalha bem”.
    Segundo: Não fique mostrando que vc pode dar conta além das suas obrigações. Porque o que tem de gente folgada que se aproveita disso…
    Terceiro: Continue fazendo um bom trabalho. *Falte algum dia para eles sentirem a sua falta. Se essas pessoas que vc diz, não te dão valor, não trabalham bem, te desrespeitam, na sua ausência, certamente, as máscaras cairão.
    Quarto: Se o ambiente não lhe faz bem, não descarte a ideia de mudar de ares. Não há nada de errado em começar uma nova história. É bom porque te desafia a ir mais além. Quando trabalhamos muito tempo em um só lugar, adquirimos o jeito daquele ambiente, e nos acomodamos.
    Quinto: Siga seu coração. À Deus pertence. Confia nele. Tenha fé. E tudo vai voltar ao seu devido lugar.
    Bjú

  4. Querida infelizmente essas moças (como a estágiária) são as que muitas vezes se safam no trabalho, e não as trabalhadoras como devia ser.

    O meu conselho é: mantêm te fiel a ti mesma. Dás o teu melhor e fica descansada com isso. Tens que ser tu a dar valor a ti mesma. Se estás a espera que os outros dêm morres a espera.

    Quanto a estagiária tens que a tentar pôr no lugar. Estás lá a mais tempo, usa isso a teu favor. Aperta com ela. Não tenhas medo de passar por antipatica. Pelo que dizes já não és propriamente popular mesmo.

    Tu tens que impôr respeito.

    Se vires que está muito mal vai vendo outros trabalhos, procura. Mas não saias do teu sem teres arranjado algo concreto.

    Infelizmente eu passo por uma situação semelhante a tua. Por muito que trabalhe e me esforçe, que mostre que quero aprender e melhorar.. a minha chefe so vé valor naquelas colegas queixinhas, graxistas e “lambe-botas”. É muito comum isso acontecer no mundo laboral.

    Bjs

  5. Sei o que você está sentindo. Eu tinha uma chefe assim. Foram dois anos de frustrações continuadas e diárias. Nada estava a contento, tudo era ‘defeituoso’, ‘errado’ e/ou ‘feito sem capricho’, etc. Até mesmo o tipo de letra na tela do computador era motivo de críticas tais como ‘use negrito’, ‘não use negrito’, ‘use Arial’, ‘use Garamond’, enfim essas idiotices. E ela mandava refazer as tarefas por conta desses detalhes estúpidos.
    E o serviço emperrando cada vez mais e ela reclamando cada vez mais. Pilhas e pilhas de papéis sobre a mesa dela esperando as costumeiras críticas e retornando à mesa dos funcionários para refazer.
    Um inferno. Um inferno.
    Até que um dia ela me chamou no gabinete para ‘falar a respeito da minha produção’. Fui. Lá chegando ouvi aquela balela costumeira, à qual cansaria até mesmo ao Senhor Jesus Cristo.
    Ouvi tudo pacientemente, tomei coragem e respondi. Minha cara, eu trabalho para mim, pois o salário é meu. Portanto minhas tarefas são cumpridas já que tenho interesses a respeito disso. Eu recebo o salário. E o gasto. E o salário sendo meu, trabalho ‘para mim’. Então isso nos diz que não preciso trabalhar ‘para você’, ou para quem quer que seja, mas ‘para mim’ sempre. Quanto a você, sempre tem opções e deve fazer o que acha adequado.
    É claro que ela precisou ‘engolir’ isso, pois era a verdade. Mas ainda assim ela disse: você não tem medo? Respondi: medo?… medo de que? E ela: de ser transferida daqui. Respondi: sim, em relação a trabalho, sim tenho medos, mas o principal e talvez unico seria o de perder os meus braços e não poder mais trabalhar.
    Isso encerrou a ‘conversa de advertência’ que ela pretendia manter. E eu já sabia que isso seria o final da ‘minha cruz’, que era o que eu esperava dela e não mais.
    Passados alguns dias ela ‘conseguiu’ uma transferência de setor para mim. Chamou-me novamente, dizendo: Compareça ao setor tal para uma entrevista. Respondi: não, não vou passar por qualquer entrevista. Ela: porque? Eu: o setor referido é para desempenhar tarefas identicas às daqui, para as quais já fui aprovada em processo seletivo na admissão e portanto não há o que entrevistar. Ela: A futura chefe quer vê-la! E você vai! Vai porque EU estou mandando! Eu: não, pois ninguém me obriga a nada senão nos termos da Lei; aliás não preciso ser ‘avaliada’ senão pelo processo seletivo pelo qual já passei na contratação.
    E não fui. Ela teve que ‘engolir’ isso também.
    No mesmo dia formalizei junto ao setor competente um pedido de transferência. Obtive de resposta do RH: “Escolha para onde quer ir.”
    Portanto, eu mesma ‘escolhi’ por mim. Mas foi preciso ‘bancar uma briga’.
    Tudo tem um preço na vida e às vezes compensa pagar.
    No meu caso, totalmente!

  6. Primeiramente, o talvez único “valor” que deve ter o seu trabalho, é o seu salário, concorda?
    Se o seu salário não está atrasado, então o seu “valor” no trabalho está sendo dado.
    Quanto ao mais, afaste-se das suas emoções negativas.
    E você, pode, sim, dar um jeito na estagiária, determinando as tarefas dela por numero e tempo. E se ela não desempenhar, deverá ser substituída.

  7. Também sou dedicada no meu trabalho mas realmente tem umas escoras , eu sou desses funcionários eu aceito críticas quando estou errada ok mas outras nao dou ouvidos minha função mando eu se min tirar do sério nao ajudo nao sou obrigada fazer a minha função i além com críticas realmente tem umas cobrinhas .um dia aconteceu eu errei nao foi bem um erro eu demorei p digitar ou seja rexistrar a comanda o meu patrao falou que eu estava errada que ia min mandar embora enfrente aos meus colegas , eu respondi pra ele pode mandar o mercado de trabalho está la fora min esperando só assim eu procuro novos horizontes rapidinho arrumo outro patrão…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here