Marido que não deixa a mulher participar dos negócios

Sou casada há 15 anos e tenho dois filhos, meu marido administra a empresa que era do pai dele, eu trabalhava e ganhava muito bem até ter que mudar de cidade devido ao relacionamento entrar em crise. Então fui trabalhar na empresa do meu marido, bom até ai tudo bem pois tinha noção que ele era filho do dono, então nunca me meti em nada, mas sempre rezei para empresa acabar logo para podermos tomar conta de nossa vida, porque me incomodava em nunca poder saber de nada! No ano passado meu sogro faleceu! A empresa funcionara só mais este ano, e eu hoje faço toda a contabilidade, porém não me meto em nenhuma decisão. Mas estava feliz pois enfim iríamos criar nossa própria empresa. Acontece que meu marido abriu duas empresas e não me consultou, e quando eu questionei disse que estava pensando no futuro e bla bla bla, respirei fundo e pronto, mas a coisa vem me incomodando pois eu não sei valores, só vejo que sai remessas para compra de imóveis carros, e para família dele, e só vejo porque chega em casa extratos, não porque tenho acesso ao banco, pois não tenho conta conjunta! Ai fica minha duvida qual e o meu direito como esposa? eu estou muito chateada já falei uma vez e não adiantou alguém mais passa por isso? estou errada? porque eu não posso ajudar afinal o que acontece com o meu casamento? Só queria ser consultada, queria batalhar junto queria fazer parte só isso! Me sinto tão tão mal!

4 Comentários

  • s 18 de fevereiro de 2013

    Se ele não a deixa se envolver com as decisões na empresa, no mínimo preserva-se dos problemas em que, opinando, possa ser acusada caso algo não corra bem. Quanto ao mais, os seus direitos de esposa estão garantidos pela união, inclusive quanto às duas empresas abertas por ele.
    Mas isso você sabe.
    Porém, se você gerencia a Contabilidade da empresa que era do seu falecido sogro, sabe de todas os gastos e entradas. E se percebe que o seu esposo ‘desvia’ verba da Empresa, como responsável pela Contabilidade pode exigir dele explicações e informar que isso não é correto, recusando-se inclusive a ‘ajeitar’ a documentação para que os desvios ‘desapareçam’. Isso seria fazer valer e manter o respeito à sua função.
    Mas sei que não se referia a isso. Referia-se mais à sua participação nas decisões familiares, etc.
    Tem razão em ficar insatisfeita em ver o seu esposo tomando decisões sem consultá-la pois, seja como for, além dos sonhos frustrados diante dessa atitude unilateral dele, caso algo de errado ocorra nas empresas e sendo você casada em comunhão parcial ou total de bens, arca com a sua parcela nos prejuízos se eles ocorrerem.
    Porém, se percebe que ele desvia verbas das Participações nos Lucros pessoais dele, o que equivaleria então ao ‘salário’ do seu esposo, investindo ele dinheiro pessoal em despesas fora do casamento, pode e deve questioná-lo severamente a respeito. E se tiverem filhos em comum, tanto mais forças terá para argumentar.
    E se para estar mais fortemente ferramentada a respeito de como eventualmente levar essa insatisfação ao seu esposo, nada como consultar um advogado. Ele vai colocá-la ao par dos seus direitos e deveres, assim como os do seu esposo, e em relação ao casamento, filhos, aos bens e às empresas; de sorte que poderá argumentar segundo a Lei junto ao seu marido, a modo de não estar à mercê de surpresas e decisões unilaterais a respeito do que o seu esposo anda fazendo da vida econômica.
    Se não for casada sob o reguime da separação total de bens, você é meeira dele. E os filhos, de todo modo, herdeiros. Você tem todo o direito de zelar por isso e de saber o que o seu esposo faz com o dinheiro e com os bens.

    Resposta
  • Lais 18 de fevereiro de 2013

    Poxa eu não tinha pensado pelo lado dinheiro, mas sim pelo lado me sentir sem valor, mas sua opinião me valeu muito porque realmente me afeta financeiramente e eu e meus filhos somos parte disso. Gostaria muito que ele entendesse que eu queria ajudar a construir as coisas e não ser funcionária dele…mas ta longe dele entender isso! Acho até meio sem nexo agora pensando pelo lado financeiro porque de qualquer forma então eu sou dona…a não ser que ele esteja desviando……obrigada por ajudar eu a pensar por outra perspectiva.

    Resposta
  • s 18 de fevereiro de 2013

    Lais,
    Não há o que agradecer, querida. Entendo perfeitamente o que sente e eu sim devo agradecer a oportunidade de tentar ajudar, querida.
    Mantenha-se racional e serena e se o caso faça as pesquisas legais que precisar a modo de estar inteirada disso e de posicionar-se em relação ao seu casamento. Tudo vai dar certo!

    Resposta
    • Lourdes Carvalho 15 de abril de 2019

      olá advogado gostaria de seu contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *