Não consigo aceitar conviver com meu enteado

Sou casada há apenas 5 meses, amo muito meu marido, temos um relacionamento maravilhoso e apaixonado, eu tenho 30 anos, sou livre, independente. Meu marido sempre adorou isso em mim. Nãoo tenho filhos e nem pretendo. Acontece que quando o filho dele, que tem 13 anos, entra em cena ele vira um criança junto com o menino, e se eu questiono qualquer coisa ou atividade sou prontamente atacada, com contra-ataques, defensiva e muita briga. O menino é mimado, como todas crianças hoje em dia, mas no mais ele tenta ser agradável. O que mais me incomoda é como meu marido se comporta. Ele diz que sente infinita culpa por ser pai separado e eu sempre tenho que entender entender. Queria que me marido entendesse que eu não tenho filhos, nem tenho convivência com crianças. Eu não tenho muita paciência e o jeito que ele impõe que só as vontades do menino que devem imperar fica pior ainda. Eu gostaria que meu marido se colocasse na posição de adulto e soubesse dividir as coisas. Mas tudo o que ele quer é fazer as vontades do menino, e se eu falo qualquer coisa ele começa desfiar um rosário de como ele é um pai separado e eu preciso entender. Isso já vem acontecendo há dois anos e meio e como eu não posso conversar sobre o assunto (pois quieta ainda estou errada). Eu sinto que como mulher gosto de ser cortejada, é essa imposição pode acabar me deixando deprimida.

Etiquetas
enteado filhos do marido
0 0 votar
Avaliar Desabafo
13 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Mirta
1 year ago

A medida que você se decidiu se casar com um homem que tem filho, já deveria saber que os seus espaços de interferência nessa relação paixfilho sempre serão limitadas. Quanto menos você se intrometer, melhor será para a sua relação. Entendo que parece injusto, uma madrasta não poder participar do processo de educação de um enteado e sei que também é inevitável que se respingue problemas em cima de você, caso o adolescente comece se tornar um fardo para a família, oriundos de uma educação sem limites, mas você nessas horas, sempre terá a moral de dizer de que foi calada, quando quis opinar sobre excessos de mimo que o garoto recebia. nada impede de vez em quando você dar uns pequenos toques de leve, quando a conversa, verter para essa ligação e ele foi receptivo a escutar. Não se deve bater de frente e contraria-lo, pois o seu marido ainda está trabalhando a culpa das consequências de uma separação. Se essa situação para você for muito além da sua capacidade de suportar, nesse caso sugiro que arrume alguém mas do seu perfil, um solteiro que não queira filhos. Nesse caso é melhor escolher um estrangeiro, pois os latinos a medida que casam, geralmente pensam em formar família e não será fácil encontrar alguém que se encaixe nesse perfil que você prefere.

anonimo
1 year ago

Nem homem nem mulher devem botar o cônjuge á frente do filho. O filho é o ser mais importante da vida de alguém, e ele está certíssimo. Você é uma pessoa que entrou depois na vida dele e tem que compreender isso. Tente conhecer melhor o garoto e se enturmar com ele, DE VERDADE, quem sabe não facilita a relação?

Angel
1 year ago

Meu conselho é faça terapia família, sim leve ele para fazer terapia, ele precisa entender que ele é pai e precisa se comportar como tal, o filho precisa de um referencial e muitas vezes não encontra isso nem no pai e nem na mãe, por causa da falta de maturidade, pais separados sofrem da síndrome do Pai ausente e isso é um dos fatores que acabam mimando demais seus filhos.

Júlia
1 year ago

Mas ele é adulto a criança é você que casou e quer ser livre independente. Ficasse solteira horas. Ainda bem que ele é um bom pai e que continue assim. Qualquer pai ou mãe que se preze age assim com seus filhos isso se chama amor algo que você que não gosta de crianças não vai entender. Ele não escondeu um filho de 13 anos né? Sabia então não reclame. Seja adulta e responsável e pare de reclamar de algo que é mais problema seu. Entre você e o filho óbvio que ele vai preferir o filho. Ao invés disso porque não tente ser mais madura e inteligente. Comece levando o moleque na escola, participando das atividades ele é só uma criança e você também pode ajudar a cria-lo e ter momentos junto com eles.

A verdade
1 year ago

Pessoas que casam com parceiros(as) que já têm filhos: acordem para a vida! Nunca, “Never”, Jamais será igual a um relacionamento com alguém que não tem! Então, vocês precisam ser honestas com vocês mesmas:acha que dá conta? Tá preparada para lidar com, por exemplo, o período conturbado na adolescência do(a) enteado(a)? Tem maturidade para lidar com a “ex” ligando dia sim e dia não para exigir que o pai faça isso ou aquilo para o filho(a)? Vai receber a criança na sua casa e limpar a bagunça numa boa? Vai entender que vai ter situações em que um passeio com seu parceiro será cancelado porque ele tem compromisso com o filho(a)? Vcs precisam pensar nisso antes de juntarem os trapos com alguém que tem essa responsabilidade. Não adianta querer competir com o filho do teu parceiro; filho é para vida inteira e acabou! Se você tem a consciência que não vai ter maturidade para lidar com essa situação, então abandone esse barco para o seu o próprio bem. Tem gente que consegue lidar com isso e tem outras que não. Você precisa escolher sua “turma” e decidir se vale a pena pagar o preço. Tem gente que se aventura nisso e quando não dá conta do recado fica reclamando que o fardo está pesado, mas tbm já era de se esperar.

Deus_vê_tudo
1 year ago

Eu te entendo! Não ligue para pessoas que falam que foi sua culpa ter entrado em um relacionamento com filhos!
Eu sei como é isso! O meu marido também, ele tem 2 filhos e quando está com as crianças vira um babação! Ele trata os filhos como os amiguinhos de escola, e nisso as crianças estão sendo estremamente mimadas e interesseiras! Eu acho que você não deve se importar. E já vou te avisar, ele não vai mudar! Eles não mudam por ninguém! O certo seria ele saber dosar a situação, porém ele não está nem aí para isso! E você é obrigada a aguentar um homem assim.. a parte chata e esse blá blá porque o filho sente a separação e por isso tem que ser dodoizinho com um muleke! Você é nova! Sei que é difícil falar, + eles não estão nem aí para nada.

Jessica
1 year ago

So vi comentarios aqui defendendo o pai com o filho. Esquecem que a pessoa veio desabafar, pois algo lhe incomoda profundamente. Não é porque ela casou com homem com filho que tem que se anular nao. Ninguem pensou no lado dela. Ela tbm precisa de atenção. E sim, ela é um ser humano e se incomoda com algumas atitudes de criança como todos nós, ou vao dizer que achariam natural essa atitude que ela citou do dignissimo?
Amiga do post, eu sei como é difícil e se você tentar competir com o filho, sempre vai perder. Começa a ficar distante quando ele pegar o menino. Faça programas, planeje o fim de semana sozinha ou com amigas, vai para casa da sua mãe, assista filme, va ao shopping, salao, cinema. Quando ele pegar o menino, iga que vai dar um tempo para os dois e vai passar o fim de semana com a sua familia. Logo ele vai começar a se incomodar e vai tentar te trazer para perto. Dai vai ser a hora das suas regras. Não seja tola, saiba ser a adulta da situação. Adultos tem o controle das coisas. Boa sorte.

Sam
1 year ago

Infelizmente a situação não melhora,não pense que o menino com 18 20 anos vai mudar uma coisa porque não muda. É fato, ou você engole o sapo ou você termina. Os filhos sempre ganham.

Lyz
1 year ago

Vivemos algo parecido. Fácil para terceiros falarem. você sabia dos filhos antes de casar e blá blá blá. No meu caso eu crio porque a mãe faleceu.. ficaram 2 e fora a minha. Estou parecendo uma louca. Brigo por atenção, por falta de limites neles. O pai nem gosta de ouvir as minhas reclamações. Pq falo demais segundo ele. Estou exausta

Nina
1 year ago

Olá a todos. Mirta, compreendo-te muito bem. Até estar nesta situação também pensava como os que dizem que “claro que o filho é o mais importante” e “claro que o pai vai sempre preferir o filho e coloca-lo acima de tudo”. Mas não é bem assim quando nos toca a nós. Tudo muda quando de repente vemos que a nossa relação parece depender dos filhos da pessoa com quem estamos e com quem vivemos. Eu tive um bebé com o meu companheiro. Quando o nosso filho ainda não tinha 1 ano, veio morar connosco a filha do meu companheiro, na altura com 6 anos. Tudo mudou. A menina fica o tempo todo exigindo a atenção do pai, comporta-se como um bebé numa espécie de competição por atenção com o bebé. O meu companheiro, não admite, mas tem enorme sentimento de culpa por se ter separado e a menina não poder estar ao mesmo tempo com o pai e a mãe e faz-lhe as vontades todas. É um mole com ela. Com ela tudo é perfeito (para ele) e não há regras para nada. Mas com o bebé, que agora já está maior, é diferente. Grita e zanga-se com o bebé. Mas com ela não. Com ela todo o cuidado é pouco, fala baixinho para nunca melindrá-la (não vá ela querer ir viver com a mãe.). E assim o nosso dia-a-dia tem-se tornado um inferno. A nossa relação passou a estar dependente do bem-estar dela. E ela interfere na minha relação e do pai dela. (continua)

Ju
7 months ago

Isso mesmo!👏👏👏👏

Cris
1 month ago

Entendo você perfeitamente, também estou desse jeito meu marido tem duas filhas que ficarm com a avó materna já que a mãe foi morar com outro homem e deixou elas com a avó, a mais velha e muito birrenta chora para tudo, bate na irmã e no meu filho ,e super mal educada, já a mais nova desabafou comigo onde disse que a própria mãe manda elas me xingar a ser sem educação comigo, e difícil a mais nova e uma belezinha não sem educação e super carinhosa, a mais velha já e insuportável pode falar nada que chora, só sei que a culpa e da mãe ja que a educação deveria vim dela ne, e não fazer isso com as meninas 😔.

Waneska
8 days ago

Mirta! Super entendo você, não lhe critico, e essas pessoas que não entendem é porque não estão na pele de quem está passando. Meu esposo tem 2 filhos e agora está na justiça para ganhar a guarda das crianças, tínhamos projeto de irmos morar em Portugal e estava tudo as mil maravilhas até ele tomar essa decisão de querer brigar pelos meninos por achar que a mãe não tem condições de criar. Como você eu também me conheço e não terei paciência para cuidar de 02 meninos que não são meus, ele está fazendo o papel dele de pai, não critico, mais eu não sou obrigada a aceitar e conviver com essa situação que eu sei que não será legal para mim, e outra, não temos filhos, somos livres e independentes, uma coisa é passar um fds e devolver e outra coisa é arcar com uma responsabilidade e perder a privacidade de tudo que se gosta de fazer para tomar de filho de outra pessoa, e ainda ter que engolir a ex convivendo no nosso meio. Não dá mesmo!! O amo muito, mais me amo primeiro, a vida é uma só, então vivamos como queremos e não como as pessoas impõe. Ninguém está questionando se filho é ou não deixa de ser mais importante, claro que filho é benção e o pai tem mesmo que amar incondicionalmente, apenas nós que não somos obrigadas a conviver e aceitar tal situação. Parabéns a quem se submete, porque eu mesma não, jamais vou levar cuspida, mal criação e outras situações de um ser que não é meu!

Botão Voltar ao topo