Minha mãe não confia em mim!

Durante toda a minha vida, me vi presa tal qual a Rapunzel, minha mãe sempre regulou para onde ia, com quem e quais eram minhas amizades. Nunca gostei, mas ela é minha mãe, o que poderia dizer? Simplesmente, passei a vida toda me limitando em ir a poucas festas de aniversário de amigos, porque ela sempre disse que era perigoso, poderia ter drogas, bebida e isso tudo quando eu tinha apenas 13 anos e as festas se resumiam a refrigerante, salgados e doces, e caso eu afirmasse isso, ela dizia que mesmo assim não podia confiar porque se acontecesse algo comigo iriam culpa-la e que o fato de meu pai já ter falecido era preponderante sobre os lugares que podia ou não frequentar. Com um tempo, ela começou a controlar minhas amizades inventar histórias e relaciona-los a pessoas ruins pelas escolhas que fizeram. Mesmo assim, eu sempre dizia tudo sobre minha vida, com que ia, onde ia. Mas como retorno ela passou a dizer que não presto, não confia em mim, e que não tenho amigos. Apesar de vez ou outra discutirmos essas questões, sempre a respeitei mas com um tempo eu simplesmente parei de ligar para o que ela dizia, passei a não ligar a cada minuto falando o que faço e cheguei a conclusão de que não posso me render as loucuras dela. Hoje, tenho 18 anos, moro sozinha pois faço faculdade em outra cidade, já bebi álcool e contei para ela assim que cheguei em casa, ela chegou poucas horas depois e me levou para um hospital, me fez passar vergonha, disse que achava que tinham me drogado e que eu tinha sido estuprada para todos, e sabe o que eu fiz fiquei calada. A alguns meses marquei uma consulta no ginecologista e ela resolveu ir comigo, fez o maior escândalo para saber se eu era virgem e ainda me disse que a medica tinha negado quando ela perguntou, tudo para saber da minha vida. Perdi a paciência, disse a verdade que ainda era virgem mas que ela não poderia me proibir de ficar com ninguém ai ela perguntou se eu já tinha beijado alguém e eu falei “Mãe, eu tenho 18 anos não 11” e ela começou o maior escândalo para saber quem tinha sido, tudo que eu queria entender era porque ela faz isso comigo, pois a cada dia sinto que estou gostando menos dela e é horrível admitir isso!

Etiquetas
mãe não confia

9 Comentários

  1. Olha eu tbm sofro com a minha mãe que é do estilo da sua, e uma coisa eu te digo: não muda! E a tendência é piorar, eu tenho 27 anos e esse controle ainda existe, eu já discuti muito com a minha mãe mas ultimamente estou bem calma porque ainda não tenho condições de sair da casa mas tento manter a minha vida em sigilo e procuro compartilhar muito pouco com ela, infelizmente. Minha dica é: pare de falar as coisas para a sua mãe, não se sinta culpada porque eu entendo desse jogo, elas manipulam bastante os nossos sentimentos fazendo crescer um sentimento de culpa em situações que não deveria existir. VC já saiu de casa, fez muito bem. Agora, pare de falar as coisas para ela, se necessário for, invente desculpas, e tenha coragem para fazer suas coisas sozinha, sem a companhia da sua mãe que, infelizmente, é muito manipuladora e não quer que VC cresça e amadureça. Leva um tempo para gente entender que a mãe que a gente tem em casa não é aquela parceira que gostaríamos de ter mas é a vida. Tenha coragem.

  2. A sua mãe na minha percepção do seu relato é mentalmente instável e você de uma certa forma teve sorte, de conseguir viver longe dos domínios dela. Já deu para sacar que mesmo após formada não tem como você voltar a conviver com ela, sob o mesmo teto. Quando chegar a fase do estágio, comece a ganhar seu próprio dinheiro, pois um retorno ao seu lar, não vai dar certo. Outro detalhe, não conte mais nada das suas intimidades com ela, pois já deu para perceber que ela quer manter o total controle sobre a sua vida. Eu não sei se esse processo pelo que ela passa, se desencadeou após o falecimento do seu pai, talvez pelo medo absurdo de te perder, pois ela insiste em te colocar em uma redoma, acreditando que assim estará protegida das experiências do mundo. Não preciso dizer que ela precisa de ajuda terapêutica, mas enquanto ela não se conscientiza disso, você não pode enlouquecer junto dela.

  3. Bom. A minha mãe age da mesma forma, não confia em mim. E eu nunca dei motivos para ela desconfiar, sempre contei absolutamente tudo para ela. E mesmo assim, ela não acredita em mim. Vejo minhas amigas saírem, se divertindo, vivendo como jovens de 14 anos. Eu pelo contrário, não posso sair de casa, não posso me relacionar com o rapaz que eu gosto, pelo fato da minha mãe não querer. Sempre tento respirar, e falar coisas para que ela acredite em mim, mais não tem jeito! Ela jamais acredita, sempre odeia tudo que eu faço. Me sinto mal, me sinto presa, certamente, seria melhor de fato morrer. Ela não gosta dos meus amigos em geral, não quer me deixar sair, sempre quando eu saio é uma briga atrás da outra. Tenho consciência de que não tenho minha mãe como melhor amiga, porque em uma amizade tem que ser baseada na confiança. Odeio não poder fazer nada que eu quero, mais ela é minha mãe! Acima de tudo há respeito. Não dou motivos para que ela seja assim comigo, tão manipuladora. Mais eu aceitei que nunca vou ter minha mãe como melhor amiga, e tento todos os dias acordar e me lembrar disso.

  4. minha mãe nunca comfiou em mim primcipalmente em relaçao a estudos ela sempre achava que eu estudava poco semdo que eu ficava 2 horas estudando ela diz que e pouco e por isso sempre brigamos muito sempre tive vontade de me matar por isso mas grasas a deus não tenho mais mais ela ainda implica comigo então fico queta olvindo mais ainda tem veses que choro muito sempre falo que vou morar com a minha vo mas não tenho coragem de deichar meu pai e minha irma

  5. Bom dia história e quase parecida com a minha não aguento mas essa vida tento pensar só em deus para ele me ajudar mas acho que minhas forças já passou agora minha vontade é de morrer e nada mais, quem sabe se ela me ver assim não vai ter que se preocupar mas não consigo fazer nada não saio direito pareço até a Rapunzel presa na torre isso e muito ruim não ter a confiança de uma mãe E em saber que ela não pode ser sua amiga para te ajudar e sim te julgar isso é muito chato

  6. Eu vou fazer 30 anos e ainda carrego isso comigo..tenho 3 filhos, sou casada e moro em outra casa.
    Na minha adolescência eu não podia sair de casa e se saísse tinha que saber com quem, para onde e tinha um limite de horário para estar na rua e ela sempre estava espiando.
    Chegava em casa com vontade de contar como foi o passeio, mas nunca conseguia porque ela não acreditava em nada doq eu falava, e ainda me forçava a falar o que ela queria. Lembranças ruins, dia que chegava a pegar minha calcinha para ver se eu tinha saído com alguém, não acreditava que eu era virgem, dia de me falar que iria me colocar no colégio de freiras, que se eu não fosse virgem iriam recusar e ela me mandaria para Febem..e eu sempre quieta, nunca alterei a voz.
    Quando fiz 18 anos pensei que poderia ficar livre e o único jeito era engravidar.pois bem, foi isso que fiz, engravidei, fui morar na favela, com um usuário, era lá que eu me sentia livre, “mesmo não sendo”. hoje em dia eu sou a pior filha, mesmo sendo dentista, tendo minha família, minha casa, minha vida.
    Ainda ela me cobra muito.
    Uma coisa eu sei, que confiarei nos meus filhos!

  7. A minha mãe é desse jeito, não posso jogar, ver série e nem ter redes sociais. Ela me trata como se eu fosse uma criança, nunca posso fazer nada.
    O mais absurdo é ela me proibir de ter amizade com meninos, pois ela acha que não existe esse tipo de amizade. Sofro muito com isso, pois me sinto em uma verdadeira prisão

  8. Eu tbm passo por isso, namoro a quase 4 anos e não tenho direito a quase nd,,já vou fazer 17 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar