Estou infeliz como advogada! Vale a pena largar tudo e fazer medicina?

Pois é, pessoas. Final de maio vou fazer 3 anos de formada e minha vida financeira é um fiasco.
Já advoguei por conta própria, mas só um processo aqui, outro ali, que não me rendeu absolutamente nada.
Resolvi então ser advogada empregada num escritório, porém eles só pagavam uma mixaria por mês (dois mil reais) para trabalhar o dia todo.

Fiquei 3 meses e larguei, estava frustrada, sem ânimo para nada, infeliz.
O que eu fiz da minha vida, meu Deus? As notícias são as piores possíveis.
Esse ano o Brasil terá 1 milhão de advogados! Cara, não tem mercado para esse povo todo!
Modéstia a parte, eu fiz uma faculdade bem feita, numa universidade federal, passei na OAB antes mesmo de me formar, mas isso tudo parece que não serviu de nada.

Os clientes não querem pagar para entrar com processo, só querem usar o advogado como um instrumento para ganhar dinheiro (acções trabalhistas, indenizatórias, previdenciárias, etc). Resultado: hoje passo o dia inteiro dentro de casa, tenho uns 4 processos ativos que eu acompanho (até agora não recebi um real) e não sei o que fazer. Minha mãe se ofereceu para pagar uma pós para mim, mas não sei se resolveria o problema dessa saturação de mercado.

Ler
Não consigo encontrar um emprego

Já tentei estudar para concursos, mas não consigo encontrar motivação, acho as matérias um saco de estudar. Direito é muito teórico e muito chato. Penso muito em largar tudo, estudar para o enem e fazer medicina.
Para mim, ainda é a única profissão valorizada neste país. Nunca ouvi falar de médico recém formado desempregado.
Fora que é uma profissão linda, né, gente? Ajudar as pessoas, lutar pela vida, eu realmente admiro muito!

Tenho medo de estar tomando a decisão errada, de depois acabar me frustrando ainda mais pela demora do curso, pelos sacrifícios, enfim. Mas por outro lado eu penso que não adianta nada eu ficar nessa mesma situação aqui.
Vocês acham que vale a pena mesmo ser médica no Brasil? Uma coisa é certa: é muito melhor que ser advogado!
Essa merda de profissão é só de fachada! Conheço muita gente que não paga nem a conta de luz do escritório mas quer posar de riquinho. Não caiam nessa. Quem estiver pensando em fazer Direito, corra enquanto é tempo.

Etiquetas
infeliz medicina

34 Comentários

  1. Olha só: Eu me formei em Administração de Empresas e também posso dizer que sou de certa forma frustrado (passei por períodos de desemprego, atualmente estou sem trabalhar). Resolvi apostar na área de tecnologia (Gestão de TI), algo que está em expansão e têm possibilidades reais fora do Brasil. Mesmo com o atual cenário da economia vou apostar em um negócio próprio em breve, que não envolve muitos custos por ser dentro de casa, e é também uma forma de encontrar motivação. Em relação ao seu problema, quando eu estava cursando Administração um amigo meu teve o mesmo questionamento (desistir de ADM para tentar Medicina), e ele resolveu apostar no outro sonho (demorou uns 2 anos mas passou em uma particular). Ele está bem feliz da vida com a escolha que fez, mas te adianto que o sonho dele se tornou possível graças a ser de família rica (e poder arcar com custos absurdos de uma faculdade como essa). Se você se garante nos estudos, aconselho tentar ir atrás do que você têm vontade e passar numa faculdade pública, caso contrário poderá se frustrar se passar em uma particular e não ter grana para pagar. Quando ao curso de Direito, tenho muitos amigos formados também que não estão nada bem e pensam em ter negócios paralelos (visto que processos demoram e tudo mais para pagar, etc). Se tiver mais interesse de conversar sobre suas dúvidas pode responder por aqui.

  2. nossa ganhando 2000 reais e deixando o emprego? Melhor pingar do que secar. Não fiz faculdade nenhuma ainda por que não faço noção do que vai ser melhor, uns falam para eu fazer para assistente social, a profissão é bonita o duro é aguentar os pidões que não tem necessidade, tem preguiça de trabalhar e vive nos CRAS pedindo. Decidi apostar em concursos, já passei em um municipal e estou trabalhando mas quero alçar mais auto, estou estudando para o INSS, sei que é difícil mas se eu me dedicar e estudar ao máximo vai valer a pena

  3. Achei que era só eu, estudei moda, fiz pós, hoje me sinto frustrada, e ainda estou desempregada, quero fazer a faculdade do meus sonhos (psicologia), assim que casar, essa crise no país só veio para piorar ainda mais a situação de bons profissionais, hoje as empresas querem funcionários mais baratos.estudamos tanto, para chegar nessa situação.
    Minha querida vai a luta e faz medicina..eu no seu lugar não pensaria duas vezes.

  4. Olha só como é a vida da gente. Eu sempre pobre, ganhava sempre salário mínimo, tentei em 2005 fazer uma faculdade de administração e fiz por 1 ano e 3 meses. Fui muito bem nas disciplinas porém eu sempre odiei muito matemática só passei a vida inteira porque os professores se reuniam a cada final de ano para discutir meu problema e acabavam concluindo que eu de fato tinha dificuldades.
    Então fiquei em DP e aí entrou matemática financeira, contabilidade esses baratos todo. Complicou demais sem contar que eu ficava tão preocupada com isso que desenvolvi várias doenças e até depressão. Cheguei a ficar 1 mês inteiro com gripe. Desisti. Foi a melhor coisa que fiz. Nunca mais voltei a estudar. No mesmo período me separei mas não tive filhos e pior, estava desempregada. Fiquei desesperada pois pagava aluguel. Meu ex ainda pagou um tempo até que eu me resolvesse na vida. Eu ia para a igreja com muita frequência e me perguntava se Deus não estava vendo tudo isso, achava que não. Mas não desisti da minha fé pois eu era convicta no que eu cria, e passei a desenvolver uma esperança muito grande no futuro, acho que Deus colocou isso no meu coração. Então minha irmã vendo minha situação, resolveu abrir uma lojinha de artigos religiosos, um box pequeno, só cabia eu rsrsrs e fui trabalhar para ela. Não tinha salário, e nada a perder mesmo. Iria receber só se vendesse alguma mereca. Ai comecei a orar muito e pedir para Deus me ajudar pois não saia o que fazer da vida. Chorava muito e sempre muito triste. Até que a lojinha começou a vender e eu sempre honrando a Deus. Se eu ganhasse 10,00 eu dava 1,00 para a casa do Senhor. Resumo: A empresa hoje tem 15 anos de existência, 40 funcionários e uma faturamento anual de 1,5 milhões. Tenho casa, carro e uma boa quantia no banco para se um dia eu sair de lá ou a empresa fechar. Casei com um advogado e homem de Deus maravilhoso. Então pessoal não adianta muito a gente planejar o futuro, ele acontece. A única coisa é ter esperança, fé em Deus. eu não prosperei por causa do dizimo, porque deus não precisa de dinheiro, eu dou por fé. Eu prosperei porque mesmo na minha pior situação, não abandonei Deus e não deixei de crer que um dia ele iria mudar meu cativeiro. Ouse com prudência e não deixa a peteca cair. Seja um empreendedor, vai vender coxinha, fazer unha, vire diarista, lave carro mas não deixe de acreditar em você. Sonhe e vá á luta.

  5. Eu já sou graduado mas com uma enorme vontade de fazer Direito, no entanto, eu sou alertado por TODOS, não a maioria, mas TODOS sobre a altíssima possibilidade de frustração e, assim, inevitavelmente, desencoraja-me a prosseguir. Porém com o máximo de respeito mas quando escreve ”Direito é muito teórico e muito chato” traz o questionamento sobre se essa é a sua real vocação.o curso se popularizou e traz as consequências.não sei ao certo, mas o seu caso é justo esse questionamento.

  6. Medicina demora muito: tempo de cursinho pré-vestibular, depois 6 anos de graduação em turno integral e com mensalidades acima de 5 mil. Ainda, depois mais uns 5 anos de residência médica trabalhando 80h semanais em troca de comida e uma cama no Hospital. PORTANTO, INVISTA ESSE TEMPO E DEDICAÇÃO EM UM CONCURSO PÚBLICO QUE PAGUE BEM E TRABALHE POUCO. O PT destruiu com o exercício digno da Medicina. Hoje médico ganha um quarto do que ganhava antes e nem por isso a saúde melhorou. Os médicos sacrificam/prejudicam a própria saúde e vida pessoal para tentar organizar uma bagunça chamada SUS e não recebem qualquer reconhecimento por isso. Pior, são xingados, processados, agredidos, levam muitos calotes, são bode expiatório pela mídia e nunca irão recuperar o dinheiro que investiram na formação. Esses petralhas criminosos que extorquem a classe médica e a difamam só vêem o contra-cheque do final do mês, mas desconsideram os 15 anos de caríssimos investimentos e o tipo de trabalho que é exercícido (atendimento de parada cardiaca, parto, AVC, infarto, meningite em criança levando ao óbito, complicações decorrentes de má formações genéticas, etc). Se você considerar o que se gasta para se tornar médico é muito mais rentável deixar o dinheiro no banco dando aquele jurinho ou então abrir uma franquia de carrocinhas de cachorro-quente.

  7. Sou médico e abandonei.
    Profissão ingrata.
    Pessoas não te valorizam.
    Não faça essa loucura.
    Depois de 6 anos mais 3 anos de residência com 60 horas semanais de trabalho.
    Vida de louco, maioria medicada com tarja preta.
    Virei empresário com dinheiro que ganhei.

  8. Sei como se sente, sou psicólogo e nunca me senti valorizado! É apenas status.
    Atualmente, trabalho com a Mary Kay e me sinto tão realizado, valorizado e com sensação de felicidade!
    É bom poder despertar habilidades e dons que estão dormindo dentro de nós!
    Se permita!

  9. Acredite, ao tomar sua decisão, dificilmente haverá um dia em que não se sinta em dúvida se fez o certo.estou no terceiro ano e sinto na pele.afinal é uma longa caminhada, cansativa e cara.Entretanto, poucos são os médicos frustrados.a maioria o é porque sente falta da época em que eram tratados como super humanos. Escolha a medicina, ou qualquer outra carreira por amor e a felicidade virá. Quanto ao retorno financeiro, é possível se ganhar dinheiro até vendendo um bom cachorro quente.dedicação e amor são fundamentais! Boa sorte na decisão!

  10. Após 6 anos de formado em odontologia, inclusive sendo especialista em ortodontia, ás vezes penso se fiz a coisa certa, pois o mercado está altamente saturado e ainda tem a questão do aviltamento dos preços de procedimentos pagos por convênios odontológicos que é uma negação e para completar os conselhos são omissos, e sendo bem realista a tendência é piorar. Contas não esperam e saco vazio não fica de pé. Tomei a decisão de ir largando aos poucos e vou fazer medicina, pois prefiro passar meus dois anos estudando para vestibular (ainda que na altura do campeonato da vida) e ser aprovado para assim poder aproveitar por muitos anos minha vida muito bem após concluído medicina. Viver na ilusão e na utopia é pura perda de tempo, só traz infelicidade e amargura. A VERDADE É UMA SÓ! (tenho conhecimento de causa em tudo que disse).
    Quem quiser melhorar de vida deve correr atrás mesmo sabendo que em toda escolha há uma renúncia. DEUS ABENÇOE TODOS!

  11. Estou com esta enorme dúvida e achei este texto na internet. Vou acompanhar. Tenho 27 anos e pensando em largar tudo pela medicina. Claro que até passar, só entraria lá para os 30 anos. Difícil, mas não vejo outra forma de exercer uma profissão digna no país e que também tenha uma remuneração boa. Concursos estão ameaçados devido o governo quebrado e a concorrência de um auditor fiscal, por exemplo, é bem maior que medicina.

  12. O problema é que a gente estuda para ser empregado, e ser empregado é sempre frustrante, porque a gente fica preso a uma função que pode nem existir mais amanhã, seja por causa da saturação do mercado, do desemprego estrutural por causa da automação etc. Temos que utilizar nossa formação para aproveitar as oportunidades que o imprevisível oferece, mesmo que seja necessário mudar de área ou tocar o barco sozinho, como empreendedor. A história da Bill é a mais inspiradora: a vida é imprevisível, e as oportunidades aparecem o tempo todo para quem tem fé e coragem de empreender. Se quiserem uma amostra disso, pesquisem no google “ex-engraxate” para ver a enorme quantidade de ex-engraxates que prosperaram simplesmente porque aproveitaram as oportunidades que apareceram pelo caminho como empreendedores, e não como empregados.

  13. NÃO FAÇA ISSO COM A SUA VIDA. A formação médica é muito longa e cara, você terá que passar no vestibular (2-3 anos), graduar-se (6 anos se não rodar), depois passar em uma residência médica (1-2 anos), depois fazer clínica médica ou cirurgia geral (2 anos), para só aí fazer a especialidade desejada (cardiologia + 3 anos, cirurgia plástica + 3 anos, pneumologia + 3 anos, etc) e possivelmente ainda irá fazer um fellow de 1 a 2 anos para ganhar uma posição no mercado. Resumindo, terá que investir provavelmente uns 15 anos de sua vida (2+6+1+2+3+1) sem ter qualquer retorno, só gastos bem elevados. Só depois disso tudo você vai entrar no mercado de trabalho, o qual é muito cruel também (convênios pagam menos que um corte de cabelo por uma consulta médica). Não se iluda, medicina não é o que era antes, hoje médico é sempre o culpado pelo subfinanciamento do SUS, é agredido, é processado, é condenado até quando não errou, ganha muito mal pela responsabilidade que possui, é perseguido, é atacado injustamente pela mídia, é humilhado, vive sobre pressão, sofre várias injusticas todos os dias. Como você já é advogada invista uns 3-10 anos para ser aprovada em um bom concurso publico. Alguns burocratas ganham muito bem e trabalham bem pouco. Sou médico e algumas pessoas invejam a minha situação financeira, de fato ela é razoavel, porem elas não sabem que eu faço 4 plantoes de 24h semanalmente, a maioria dos médicos trabalha mais de 60h semanais. Eu trabalho 96h semanais para ganhar menos do que a metade do que um Juiz ganha. Vivo sobre pressão e dificilmente tenho pausas no trabalho. Apesar disso tudo sou muito otimista com a minha carreira, pois todos os dias vejo meus amigos médicos conseguindo revalidar o diploma pelos 7 cantos do mundo e tenho muita fé de que um dia certamente será a minha vez.

  14. Na boa Hugo, você deveria ter feito medicina. Até pelo fato de seu pai já ser médico.
    Não sei sua idade, mas tem tempo para tudo nessa vida.

    Igual a autora do texto, tbm sou advogado.
    Me formei a 5 anos e tenho escritório próprio. Levo até certa sorte em tudo isso, e meus rendimentos então na casa de 3 a 5 mil. Mas tem meses que não dá nem mil no escritório.
    Não vejo grande perspectiva de crescimento não, devido ao grande número de profissionais e o cliente padrão buscar sempre o “mais barato”. Não é nada fácil você receber seus honorários.
    A classe não é classista, e se eu orçar algo por 5 mil, tem adv que fará por mil.
    Meus primos médicos com o mesmo tempo de formação acreditem, já tem 2 apartamentos próprios, e andam de carro de luxo zero. (e como eles reclamam de ganhar 15 mil por mês)

    Pelo com mestrado isso para o cliente, pouco importa, e não faz meus honorários serem mais valiosos.
    Já dei aula em uma Faculdade Particular, o que rendia uns 3 mil a mais.

    Tenho 29, e com toda a qualificação que tenho penso muito mesmo em voltar para o cursinho e fazer medicina. Aqui certamente já teria uma estabilidade maior do que teria na autonomia do Direito e dando algumas aulas.
    E com possibilidade de querer mudar de país para clinicar como já citaram. ( o que é mais complicado no Direito)

    Aposentar não me passa pela cabeça no futuro, então, a medicina certamente dará maior segurança de vida.

  15. Pois é amigo, tenho 36 anos, formado em odontologia e especialista em ortodontia.a classe não é valorizada, ninguém quer pagar pelo tratamento, o cenário mudou ..resumo: já estou fazendo cursinho para estudar medicina. do jeito que está não dá. meu pai e médico também, e é bem sucedido .graças a DEus o mesmo Ainda me incentiva a fazer medicina. abdiquei o turno da tarde para estudar. temos que correr atrás do melhor, porque só nós sabemos das nossas agonias e dificuldades .. boa sorte a todos!

  16. Medicina já declinou, ela está saturada e muito mal paga, já foi bom há 5 anos atrás. Claro que na propaganda da TV se fala que faltam médicos, faltam dentistas, faltam engenheiros, etc. Pura conversa para fazer mais trouxas se endividarem numa graduacao tão cara e longa. Deveriam especificar que faltam é médicos que façam a mágica de conseguir trabalhar por honorarios tão ridiculos e ainda manter as luzes do consultorio acesas. Concordo, entretanto, que há especialidades com uma razoavel sobrevida: anestesiologista, urologista, plastico e neurocirurgiao. Esses ainda conseguem trabalhar no particular. Já os médicos que dependem de convenios e do SUS, nossa, dá pena dos coitados, chega a dar vontade de fazer uma doação anonima, são medicos que vivem em situação de total penuria, dá vontade de tira-los daquela situacao de miseria, mas não sei como aborda-los ou como fazer isso.. Pior que esse medicos jah estão tão endividados que eles não podem parar e fazer outra especialidade.. O juro do Banco não perdoa.. Jogaram a vida fora por escolher medicina e achar que era garantia de rentabilidade.. Não é.. Medicina normalmente não dah o retorno do que foi investido..

  17. Nunca cogitei fazer medicina, acredito que em algum momento, daqui 10/20/30 anos ou mais a profissão vai estar superlotada e a oferta x demanda vai acabar puxando os rendimentos para baixo e o resto vocês imaginam – esse negócio de oferta e demanda é comprovado cientificamente, basta olhar para outras profissões. Somado a isso, já é possível observar que os médicos tem que trabalhar cada vez mais para ganhar a mesma coisa, praticamente. E vou além, não é qualquer médico que tira 30k+ ( mas isso já é mais do que suficiente para viver bem,certo amigo(a)!?). Um dos médicos mais bem remunerados que eu tenho notícia, trabalha no DANTE em SP, cardiologista, e tira 50k por mês, mas trabalha “que nem burro” e não tem vida. Também já fiquei sabendo, por intermédio desse médico, de uns gatos pingados que tiram 200k no Sírio-Libanês. Particularmente, eu prefiro 20k com qualidade de vida do que mais sem.

  18. Médicos que estão reclamando da remuneração, digam quanto foi o investimento mensal para a formação e qual a remuneração mensal. Ninguém vê isso Brasil a fora.

    Interior de SP, é comum consultórios construindo com milhões de reias, enquanto o povão luta para conseguir 200 mil na CEF para construir uma casa e pagar durante 30 anos.

    Formado em TI, preguiçoso nos estudos, ganho 4k líquido (programador CLT), se investir em idiomas e outras linguagens de desenvolv, dá para alcançar um mercado bem melhor, mas o conhecimento exigido, chega a ser ridículo ofertarem o que ofertam.

    É só ver a lista de conhecimentos exigidos nos concursos públicos, pessoal de TI tem que dominar inúmeras tecnologias, enquanto outras profissões, não tem isso (desenvolvedor tem que saber java, javascript, c#, php, css, ajax, sql server, oracle, mysql, windows, linux, dar mortal de frente, de costas, fazer miojo em 10 segundos, etc etc etc).

    Agora a amiga do post.. recém formada, contratada, reclamando de ganhar 2k inicial?

    Concordo, não é grande coisa, mas as pessoas não param para pensar que este é um salário inicial, para um recém formado, que vai ganhar experiência, aprendizados, conhecimentos reais da área, etc. Além de lhe dar a oportunidade de fazer trabalhos por fora e ir ganhando clientela aos poucos, para aí sim se estabelecer com escritório próprio.

    Para os simples brasileiros, que não tem pai e nem mãe ganhando 120k POR ANO, é essa a realidade que se tem que enfrentar para vencer.

  19. Larguei a Medicina e sigo o caminho inverso ao seu.
    Sou cirurgiao vascular e também advogado.
    No Direito tenho menos clientes, porém ganho muito mais do que cirurgião vascular, sem falar na qualidade de vida infinitamente melhor.
    Na cirurgia vascular tenho muitos pacientes, mas não compensa, não se paga. Infelizmente tive que investir 20 anos da minha vida para perceber isso, sendo 14 na residencia e mais 6 para ter um consultorio cheio o qual abandonei sem precisar pensar duas vezes.

  20. Só pensa que vale a pena fazer medicina quem trabalha em uma área totalmente diferente dela. É ilusão. Se os médicos pudessem voltar no tempo, dúvido que algum deles se sujeitaria a repetir esse mesmo erro. Já foi bom ser médico no Brasil, hoje não é mais. A promessa do PT era destruir a profissão médica, conseguiram. Hoje ser médico significa ser humilhado, explorado, assediado e obrigado a fazer o teatrinho petista do “não é nada mãe” do “finge que trata” sob pena do médico “rebelde” ficar desempregado e passar fome.

  21. Olha sou dentista, especialista em implantes, há mais de um ano quero larga tudo e fazer medicina, pois área da odontologia está muito muito saturada, e sem nenhuma espetativa de melhor, pelo contrário só piorar, e ter que mata um leão por dia! No entanto penso no tempo para si forma em medicina e valor que vou gastar que e muito altos, e olha que não é fácil entra na faculdade de medicina hoje! Mais o que me incentiva e que daqui há sei lá 10 anos eu vou ter uma vida financeira 10 vezes melhor do tenho hoje! E si não fizer medicina e ficar na mesma, daqui 10 anos vou lamentar muito em não ter feito! O que acham fazer medicina?

  22. De volta.
    Sou médico e advogado.
    Não compensa fazer Medicina. R$ 8 mil por mês de mensalidade por 6 anos. Após de 3 a 6 anos de residência trabalhando 60 horas semanais para receber R$ 2.800 por mês, e se passar na residência (lembrar que residência é pura humilhação, assédio moral, assédio sexual, xingamento, sofrido dos preceptores e dos outros residentes, sua saúde mental vai embora), porque se não vai ter que fazer especialização paga, geralmente por 3 anos, R$ 2 mil por mês. Aí terminando isso tem que passar na prova de título da especialidade, geralmente R$ 1.5 mil de inscrição e exigindo 4 anos de prática comprovada na especialidade. Então são de 10 a 12 anos muito difíceis somente para começar a trabalhar. Aí você tem que alugar um consultório, arcando com todos custos e assinando CLT para recepcionista, pagar R$ 20 mil para poder entrar na Unimed e ganhar R$ 60 reais a consulta; ou aceitar ser PJ para um hospital, sem férias e sem qualquer direito. E aí, compensa isso?

  23. Senhor médico e advogado.
    Você trabalha no que? Na advocacia ou na medicina?
    Qual curso fez primeiro? E quais foram suas motivações?

  24. Aconselho é faça Direito e passe em um dos vários concursos que pagam bem para fingir que trabalha. Outro conselho é trabalhar na negociação de dividas com o FIES. Eu fiz medicina e minha dívida ultrapassa 1milhão de reais com o FIES, só os juros aniquilam todo meu salário, logo eu não me incomodaria de pagar 100mil para um advogado de honorários se ele conseguisse reduzir a minha dívida milionária para algo próximo a 500mil reais.

  25. Madrugada de 6° feira, vespera de aniversario de 35 anos. Engenheiro com 10 anos de atuação em multinacional, porem com a realidade do desemprego. O mercado privado exige 1 milhao de qualificaçoes e experiencias, e a concorrencia é absurda, mesmo para ganhar 30% do que eu ganhava.

    Minha vida na industria, em uma das maiores empresas do país mostrou exatamente o que se reclama da vida medica: assedio moral, pressao extrema por resultados, jornadas extras (a carga horaria é fixa, mas tem que entregar muito mais trabalho, então invariavelmente se trabalhava em casa ou extra em off).

    Minha percepçao é que isso só tende a piorar, sem nenhuma segurança. Por esse motivo estou cogitando tambem partir para a medicina. Não é a profissao dos meus sonhos, mas que encararia de boa, mas principalmente porque nesse país de merda onde tem que se trabalhar até o final da vida, não consigo enxergar outra possibilidade mais garantida financeiramente. Qualquer prefeitura de 20 mil hab. paga em concurso 15k.

    Na minha profissao atual para ganhar metade disso tem que ser fodão, multilingüe, em uma empresa que te desloque de posicao toda a hora.

    Ps.: concursos na area de engenharia: está mais fácil passar em medicina na federal mesmo. Concorrencia surreal, acima de 1000/vaga

  26. Como médico eu tiro LIMPO 12mil/mês por 60h/semanais. Entretanto, eu posso dizer com a mais absoluta certeza que NÃO VALE A PENA NEM A PAU. Financeiramente a profissão médica é rídicula, pois adquiri uma dívida milionária para concluir o curso a qual levará mais de uma década para quitar e que compromete 8mil/reais TODOS OS MESES. Trabalhando ou não, todo mês preciso pagar ao FIES 8 mil/reais. O SUS é um horrível, excesso de pacientes, falta de condições de trabalho, diversos riscos, o estresse é altíssimo, não há tempo para atender os pacientes direito, é tudo na corrida. Trabalhar por convênio é mais tranquilo, mas os honorários tem sido tão baixo que muitos médicos migram para o SUS (13°, férias, salário fixo, não tem os custos de consultório). Medicina só vale a pena se você cursar em uma federal e então revalidar o seu diploma para algum país de primeiro mundo. NÃO FAÇA MEDICINA EM FACULDADE PARTICULAR, do contrário até os seus bisnetos nascerão com dívidas até o C*..

  27. pessoal, lendo a maioria dos comentários (acreditem: são super valiosos para mim – estudante de direito, último ano, com estágios na PFN, Justiça Federal e DPE, e totalmente desmotivado com o mercado) e, com o pouco de conhecimento que tenho, me arrisco em afirmar que não é culpa do excesso profissionais desta ou daquela carreira. Ao meu ver, o maior culpado (porém não é o único!) de tudo é,( e sempre será) o governo!
    Temos uma burocracia de esmagar os ossos – se duvidas, caia na besteira de abrir uma lojinha qualquer, ou tirar licença na prefeitura para vender pipoca. Tudo está na mão do estado, que promete um monte de coisa, nos sobretaxa até na venda de um alfinete, não entrega nada!

  28. Me formei em Direito, sou advogada e sigo quebrando a cara. Não consegui me estabilizar na profissão. Ostento o “status” de advogada porém no final do mês não vejo um real entrar na minha conta. É extremamente frustrante.
    Me relaciono com um médico o qual possui cerca de 4 anos de formado, não possui especialização. Atua como clínico geral em uma cidade do interior, trabalha 72hrs semanais, e não ganha menos de 15.000 reais fixo, sem contar quando resolve pegar plantões extras.
    Eu ainda cometi o erro de engravidar. Agora que não vejo perspectiva mesmo na minha profissão.
    Médico trabalha muito, porém ao final do mês possui um salário digno para tanto. Requer muitos sacrifícios, por vezes ele tem seu salário atrasado, mas ainda sim vale a pena! (Obs: Ele é formado em faculdade particular)

  29. Também sou advogada recém formada, tenho 25 anos e às vezes me dói na alma ver a remuneração de um advogado, trabalhei em um escritório também ganhando 2 mil reais (como associada, ou seja sem qualquer benefício, horas extras, fgts etc. 2 mil e pronto), donos de escritórios ainda acham que pagam muito, que está na média de mercado, triste realidade.
    Hoje estou na dúvida, me dedico e estudo para um bom concurso (MP, juíza) ou para cursar medicina, que no fundo, bem lá no fundo sempre desejei.

  30. Vendo os relatos de todos, percebo que não estou sozinho quanto ao receio em relação ao futuro.
    Faço Engenharia Mecânica em uma boa faculdade, e estou no meio do curso. É um curso difícil mas muito interessante também.
    Estou para começar um estágio em uma multinacional no começo do ano que vem, se tudo correr bem. Mas me vejo com os mesmos pensamentos do amigo Polenta.

    Um mercado exigindo todo tipo de qualificação e experiências de todo tipo para quem está chegando (ainda assim sem garantia de nada), e está chegando aos montes.
    Tirando ainda o ambiente de pressão, e muitas vezes de competição na indústria privada relatado pelo Polenta (tenho um primo formado a 8 anos em Engenharia Elétrica, 2 anos desempregado que diz a MESMA coisa).

    Meu questionamento é se não valeria mais a pena eu me dedicar e um concurso público, para depois terminar essa graduação com mais calma, e com uma maior estabilidade. Isso tudo claro, depois de realizar o estágio, que é em uma área muito bacana.

  31. rsrs. me encontro com a mesma dÚvida, meu sonho sempre foi medicina e fiz direito por nÃo ter condiÇÕes para medicina, até gosto muito do direito mas vejo tantos amigos passando dificuldade que meio desanimei, trabalho em banco, da para tirar uns 7 mil. dai jÁ pensei em parar tudo e advogar mas me pego na mesma frustraÇÃo que vocÊ! minha namorada ama o direito e pegou oab, jÁ discutimos varias vezes por essas questÕes e ela nÃo aceita eu abandonar tudo pela medicina, até porque temos 5 anos de namoro e quero casar mas brigamos sempre por essas decisÕes, enfim. difÍcil, realmente nÃo sei o que fazer, estou esperando ela comeÇar a advogar e cair na realidade ou entÃo ficar bem ( o que mais quero ne!) entÃo estou na espera, se der certo para ela eu vou advogar, se nÃo der dai vou ver o que faÇo pois ela ficarÁ mais maleÁvel a outras escolhas.

  32. Sei que não sou ninguém e que nem ao menos curso superior possuo, porém, tenho que falar o que penso sobre o assunto, bom. Na atualidade o mercado de trabalho é um tiro no escuro para qualquer um, ás vezes serviços considerados “seguros” não dão certo e entendo de perto como é frustrante, sei que pensa que medicina ou quaisquer outros cursos superiores irão te tirar dessa crise,mas a real é que se você não fazer o que ama nunca vai chegar na felicidade e talvez nem mesmo ao dinheiro, se você gosta da área de direito acho que deve permanecer nela, sei que a situação é desesperadora e eu nem imagino o quanto está aflita, porém você tem que se conformar com a situação e trabalhar com o que ama, espere a gravidez passar, se estabilize um pouco como mãe, irá parecer que as coisas irão desmoronar, mas não vão, quando esse momento de aflição passar, foque no trabalho um pouco, faça a pós se a condição permitir e uma hora tenho certeza que as coisas vão se acertar, só pense, sua vida está passando a cada segundo então seja feliz com sua condição seja ela qual for, não se lamente das suas escolhas, tudo o que fez formou a pessoa que és hoje. Boa sorte!

  33. Acabei de passar na OAB, e desde a graduação nunca gostei da ideia de advogar mas sempre pensei em um concurso para magistratura. Hoje tenho 27 anos e vejo o sucesso de alguns conhecidos em algumas diversas profissões e me sinto frustada, por ter um curso superior e não ter sucesso, ainda mais com essa idade e ganhando nem R$ 2.000,00 por mês, apesar de lutar muito para ganhar mais. Sempre dei o meu sangue para “ser a melhor” me destacar, mas parece que nada acontece. Desde meu ensino médio quis ser médica, por uma questão pessoal e humanitária por ter vivido um problema de saúde na família, e nunca me sentia capaz e escolhi Direito como segunda opção. Só que agora depois ter passado por uma graduação e perceber a infelicidade de não ter de volta o tão sonhado retorno financeiro é desesperador, além de trabalhar sem amor ao que se faz adoece as pessoas e estou sentindo isso na pele. Só que minha família é simples e não vai ter condições de bancar esse meu sonho, além disso a conta do meu FIES vai chegar e preciso trabalhar para pagar. Sinto que não devo me conformar com essa situação, mas as contas chegam mês a mês, e como estudar tendo uma rotina tão exausta?

Botão Voltar ao topo
Fechar