Como ser uma pessoa menos egoísta?

Eu sei que deveria ser mais grata. Minha família é humilde e sempre dei meu melhor, com isso aprendi um novo idioma, fiz um técnico e agora estudo em uma das melhores universidades do país.
O problema é que não valorizo isso, sinto que vivo mais para o futuro do que para o presente. As vezes me sinto mal por ter um dia “livre”, sem fazer nada. Eu sei que isso parece extremamente estúpido (e realmente é). Mas isso tira muito a minha paz, eu tenho muito receio de não ser uma boa profissional, de não realizar minhas metas, de não conseguir ajudar meus pais, de não melhorar de vida, etc. Minha cabeça insiste em pensar que eu poderia ter feito mais do que fiz, ter acordado mais cedo, etc. Posso tirar dez notas boas, se eu tirar uma baixa, é ela que vai me dominar. Além disso, me sinto totalmente diferente das pessoas da minha idade (tenho 18), de um jeito muito ruim. Nunca gostei de nenhum cara, não me animo muito para ir em festas muito abertas, bebo porque é conveniente e tal. Ou seja, sou totalmente fracassada socialmente falando (na verdade, estou fracassada, porque nem sempre foi assim). Eu comecei a ler mais esse ano e tem ajudado, porque é algo que consigo gastar horas sem ficar me culpando depois. Mas eu deveria me sentir tranquila, sabe? Eu faço o que posso. É puro egoísmo e muita ambição, é até vergonhoso admitir isso. As vezes tento colocar na minha cabeça que não preciso esperar minha vida ser do meu jeito para viver ela (afinal, e se ela nunca for?), mas no outro dia já estou me cobrando de novo. Nunca falei com ninguém sobre isso, será que é um assunto digno de terapia? Queria deixar as coisas aconteceram mais naturalmente.
Enfim, sei que não é nada perto de perder o emprego, divórcio, sla, mas queria saber se tem pessoas com esse probleminha em comum comigo.

0 0 votar
Avaliar Desabafo
4 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Pms
21 days ago

Eu acho que você é uma pessoa normal. Tudo o que diz é normal, fazer o melhor para tentar conseguir o melhor. Eu também já me senti assim. Eu tentei e fracassei, mas olho para trás e fiz tudo o que pude, Não desperdicei tempo também, o tempo livre dediquei aos meus pais. Nunca sai de perto deles. Hoje não tenho magoa, não me sinto triste, a minha família ficou orgulhosa na mesma. Hoje sou feliz, tenho o que consegui. Tenho a minha casa, carro, estou divorciada e sozinha mas feliz. Mas não por razões anti-sociais mas porque o amor acabou. Trabalhei muito, durante muitos anos.
Agora convivo com os minhas amigas, grandes amigas. Amigas de anos iguais a mim, iguais a si.
Nunca me identifiquei com as pessoas “normais” como fala. 18 anos é muito nova, para construir um futuro é preciso sacrificar muita coisa. Eu sacrifiquei como você a parte social. Mas construí uma amizade/amor enorme com meus pais. E isso para mim foi o mais importante. Quanto a não se interessar por ninguém, o seu amor vai aparecer, o meu apareceu. tenho uma filha linda, também a querer ser a melhor.

Observador
21 days ago

A cautela que deves ter é Não te achares Auto-Suficiente. No último setor que trabalhei encontrei colegas mulheres, faixa dos 30/40 anos, que suponho por Insegurança não acatavam sugestões minhas ou buscaram ouvir sobre minha experiência profissional. Fui até vitima de Assédio Moral: colocado a exercer atividade aquém da minha capacidade: de analista processual à expedição de processos. Hoje, carreira concluída penso que devem lamentar não terem interagido comigo quando convivemos juntos, uma delas que tinha chefia de divisão e era substituta da chefia de outra divisão, “pediu” para deixar tais atribuições!

ana maria
18 days ago

A sua questão é bem simples. Seja mais indulgente com você mesma. Vc precisa viver a sua juventude, pois você tem cabeça e comportamento de velha. Não se trata de egoísmo, mas excesso de auto cobrança e o que te deixa triste. É natural que esse comportamento te afaste socialmente de jovens da sua idade que estão em outra vibe. O meu filho é inteligentíssimo, com pouca idade já estava pós-graduado, em uma das faculdades mais difíceis de ser certificado no país, os assuntos que ele conversa pode alcançar desde as pessoas mais simples, com pouca instrução até um executivo de altíssimo grau de capacidade intelectual, mas não se exclui de nenhum grupo social. Ele tem os seus momentos de dedicação aos assuntos que lhe exige foco, responsabilidade e investimento em conhecimentos, tanto é que na cabeceira da sua cama, tem uma pilha de livros, mas NUNCA deixa de arrumar um tempinho para viajar, encontrar os amigos, mesmo aqueles que não são formados, mas que não deixam de ser excelentes pessoas e ótimos amigos, ele curte festas rave, esportes, jogos de pc e garotas. O que está te faltando é só aproveitar melhor a sua sorte na vida e sim no futuro ajudar aqueles que te ajudaram, como a sua família

João Silva
4 days ago

Se vocês acha que está sendo muito egoísta, faça um trabalho voluntário para que isso vá mudando vc.

Botão Voltar ao topo