Problemas no Namoro

Não consigo amar o filho da minha noiva

Olá, sei que parece grosseria da minha parte, mas eu não estou conseguindo amar o filho da minha noiva, ele tem 2 anos e o pai dele é ausente, nem parece que existe só serviu para fazer mesmo, o menino me considera como pai dele me chama de pai sente minha falta, pergunta por mim, ele já desenvolveu amor por mim, mas eu não estou conseguindo desenvolver amor por ele, eu gosto muito dele, mas não consegui passar disso, parece que tem um bloqueio, não sinto falta, não sinto saudades, dou graças a Deus quando ele viaja com os avós, eu amo muito minha noiva por isso estou tentando de todas as formas amar o menino também, mas ele é muito chato, mimado, vive nos atrapalhando em diversas coisas, as vezes só quero ter um momento com minha noiva mas nunca da só dá quando ele está dormindo, e para ajudar ele ainda fica lutando contra o sono até o último segundo na maioria das vezes dormimos primeiro do que ele, e eu quero ter o meu filho, mas a situação em que o país está fica complicado ter duas crianças, sem contar que vou ter que passar por tudo isso de novo, estamos construindo nossa casa e se tudo der certo estaremos morando juntos ainda esse ano, eu não sei mais o que fazer, amo muito minha noiva, não quero me separar dela, mas isso já está nos trazendo problemas, alguém já passou por algo do tipo e me dizer se as coisas melhoraram depois da criança ter ficado mais velha, se conseguiram desenvolver amor pela criança, eu não sei mais o que fazer.

Etiquetas
enteado noiva

11 Comentários

  1. A situação é mesmo complicada. Se você quer passar o resto da sua vida com a sua noiva tem que entender que o filho dela vêm junto com o “pacote”, o moleque só tem dois anos, e mostra sim comportamnet de uma criança mimada, pelo que vc relatou, mas após se casar vc vai virar o padastro dele, e vai se tornar responsável, junto com a mãe, pela criação dele, se você vai desenvolver amor com o tempo não sei dizer, mas pode construir uma boa relação com o menino, dando o exemplo de adulto responsável que el espera de você (sem o pai por perto, acredito que você se tornou o modelo de homem em que ele se espelha, você gostando disso ou não). Boa sorte meu amigo.

  2. acredito que vale a pena continuar no relacionamento, porÉm, É preciso deixar tudo muito bem esclarecido com a sua noiva a respeito da educaÇÃo do menino e a sua participaÇÃo nisso! converse com ela sobre seus incÔmodos referente ao comportamento da crianÇa. se o menino o considerava como pai e a sua noiva tambÉm, entÃo É preciso deixar claro a sua participaÇÃo efetiva nisso!
    sobre ama-lo isso É com o tempo e acredito que vocÊ deve tomar a decisÃo de te-lo como filho e o melhor É que ele É muito pequeno isso facilita demais o relacionamento que serÁ construÍdo entre vocÊs, imagina se ele fosse um aborrecente? vocÊ nÃo suportaria!
    passe a olhar a crianÇa com outros olhos, a enxergar a sua inocÊncia e veja que ele precisa de vocÊ. mas ressaltando que É preciso saber se vocÊ poderÁ agir efetivamente como pai dessa crianÇa quando se casar com a mÃe dele e passarem a ser uma famÍlia.
    deus abenÇoe e esteja te guiando neste momento.

  3. Eu concordo plenamente com a resposta da Ana.
    A escolha foi sua de se relacionar com uma mulher com um filho de dois anos com um mundão cheio de mulheres solteiríssimas, livres e desimpedidas por aí, pra começarem uma vida com filhos que também sejam seus. Você terá que ter paciência e muita dedicação neste relacionamento, e nunca, nunca ,mesmo ficar contra o filho dela, pois ela sempre o defenderá. Só desejo boa sorte.
    Para mim, não serviria um homem com filhos. Já tive esta experiência, durou 6 meses apenas de namoro. E olhe que o homem divorciado passa menos tempo com os filhos do que a mulher no caso… Não aguentei. Era atenção muito dividida, eu tendo que cuidar de filho de outra mulher, tendo que muitas vezes educar dentro da minha casa, criança mimada, mãe atrás indo buscar o filho, eu tendo que ficar vendo a cara da ex (no teu caso melhor ainda porque o pai sumiu), final de semana raramente só eu com meu namorando saindo juntos, dinheiro todo dividido pro filho. Resumindo: não deu certo. Sou nova, 24 anos. Quero um cara que esteja na mesma fase da vida que eu, e esteja livre e tranquilo. Meu ex tinha 32.

  4. Criança é uma caixinha de surpresa, “alguém já passou por algo do tipo e me dizer se as coisas melhoraram depois da criança ter ficado mais velha, se conseguiram desenvolver amor pela criança”, depende muito da educação que ela está recebendo e do acolhimento dentro do lar, se vc não ama ela agora com certeza quando conviver na mesma casa a coisa piora, meu conselho é se não está pronto pra essa criança cai fora, tenho dois exemplos na minha família, meu pai adotou meu irmão mais velho filho do primeiro casamento da minha mãe, ama ele de uma forma muito linda é o queridinho do meu pai, agora meu irmão tentou fazer o mesmo casando com uma mãe solteira com um filho de 2 anos e adivinha, meu irmão não teve muita sorte, e olha que é bem mais amoroso que minha cunhada, faz de tudo pra ele, mas o relacionamento com o menino é bem complicado. Não espere casar pra depois amar esse menino, ame ele antes se não conseguir termina o relacionamento, essa criança merece ser amada, cuidada e acolhida por vc, pois já não tem o pai na vida dela, outra coisa vc tbm pode tentar terapia pra ter uma resposta e trabalhar isso dentro de vc, outro conselho que dou pesquise muito sobre relacionamento com enteado, pra vc entender se é isso mesmo que vc quer.

  5. Tá achando complicado????Peça a Deus que o papai da criança nunca se lembre da existência da mesma pq aí sim você vai ver o que é PROBLEMA.

  6. A maior prova de amor que você pode dar à sua namorada é amar esse enteado como se fosse seu filho. Mas se você não é capaz não a iluda , saia da vida dela para que ela arranje um homem que a ame a ela e ao filho.

  7. O que eu não entendo é porque você levou esse relacionamento tão adiante, comprometendo-se com noivado, construção de moradia, sem antes ter se adaptado a presença dessa criança nos principais espaços dessa relação. A fase de namoro serve justamente, para se avaliar até que.ponto lhe interessa assumir esse nível de responsabilidade, compreendendo que teria que abrir mão da sua privacidade, assumir parte dos custos da manutenção da criança, inclusive os gastos extras que terá com a sua formação, festas de aniversário, presentes, mimos, uma vez que ela tem um pai ausente e tudo o que fizer pelo seu filho biológico terá que oferecer igual para a outra, pois a mãe sempre irá monitorar essa questão, ainda nesse contexto, os passeios, viagens, almoços em restaurantes, quase sempre terão que levá-las, pois os avós nem sempre ficarão segurando essa responsabilidade de tomar conta, enquanto o casal se diverte. Reflita bem sobre todos esses pontos, pois se entrar em um casamento, esperando que os seus espaços serão maior do que da criança, já te adianto que irá se frustrar e nada do que você fizer ou discutir com a mãe, irá mudar essa realidade, a criança sempre será prioridade, tem ou não empatia por ela.
    A minha opinião é que você não está pronto para esse formato de relação, arrume alguém solteira, sem filhos e assim poder aproveitar melhor da relação.

  8. Você não tem a menor obrigação de amar e nem de ser pai de um filho que você não colocou no mundo, vc não tem que sentir saudades, não tem que suprir nada, sua obrigação é respeitar, tratar bem, não interferir na educação e ajudar com alguns cuidados( porque é assim que um bom companheiro e companheira faz mas não é obrigação ) nao é porque você entrou na vida dessa pessoa e sabia que tinha filhos que vc tem “aguentar” tudo, vc não invadiu a vida dela e a obrigou a estar com vc, ela também consentiu e sabe que vc não tem filhos, portanto ela tem que ver seu lado tb e não jogar pra cima de voce, mude esse negócio do menino te chamar de pai, vc não é pai dele e a mãe não tem que incentivar isso, isso é errado e faça apenas aquilo que puder, não se desgaste pra criar filho de ninguém e nem em relação, existe uma infinidade de mulheres sem filhos, eu já passei por isso e no caso da mulher é um pouco pior pq esperam que você seja empregada tb, além de provedora, a menina me chamava de mamãee o tal do pai queria me obrigar com a menina de qualquer jeito, tudo tinha que girar em torno da princesinha, quando vi que isso estava me ferindo meus princípios, cai fora! Pra mim não dá! Se ela te ama de verdade, ela vai se colocar no lugar dela com relação a isso é não te fazer sentir obrigado a nada!

  9. to na mesma situação. Amo ela mas o mulek não. Atrapalha em tudo. Não dá pra namorar nunca. Sair nunca. Viajar nunca. Tudo sempre tem q ser programado meses antes. Nao vou pagar nada pro mulek e nem sustentar filho de outro cabra. A criança nao tem pai e nem culpa de ter nascido. Mas nao dá pra pagar pelo resto da vida a trepada gostosa q ela deu pra um idiota qql. Tem q pagar pelo erro. Merece sofrer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar