Desânimo com casamento e avareza do marido

Comecei a namorar com o agora meu marido, há 13 anos. Ele sempre foi um pouco sovina, (não oferecia prendas, só quando era estritamente necessário, e nada de muito dispendioso, geralmente cada um pagava a sua entrada nos sítios e o seu consumo, enfim) Mas como estava a preparar-se para construir uma casa, eu perdoava-lhe a sovinice pois calculava que o dinheiro lhe fazia falta para as obras. Fomos viver juntos, numa casa alugada durante uns 4 anos. Ele andava sempre cansado, ensonado e sem ânimo para nada o que o tornava numa “fraca” companhia. Enquanto a obra decorria, eu emprestei-lhe algum dinheiro, pagava a comida e o enxoval todo, e até lhe emprestei o meu carro visto que o dele avariou completamente. Entretanto acabou de fazer a casa e mudámo-nos para ela em 2008. Continuámos a dividir as despesas com comida, e continuei a emprestar-lhe o meu carro até ele comprar um para ele um pouco antes do nosso casamento. Casámo-nos no fim de 2011. Comprou umas alianças das mais baratas que encontrou à venda, de ouro 9kl ao qual eu até tenho alergia. Como essas alianças eram tão fraquinhas, a dele passava a vida a partir-se e depois de tanto ser soldada já não dava para arranjar mais e ele desistiu de a usar. Consequentemente deixei de usar a minha também. Até agora andamos os 2 sem aliança porque ele não comprou outras. Quanto à tal casa que ele fez, quando nos casámos ele quis que fosse casamento com comunhão de adquiridos, apesar de nunca ter mencionado essa vontade antes. Ou seja, a casa é só dele. Fiquei um bocadinho triste pois ele nunca me tinha dito que o queria fazer. Sinto-me desamparada. Sinto-me quase uma empregada doméstica a limpar uma casa que não me pertence (e olha que a casa dá trabalho pois é uma vivenda num terreno afastado de tudo, numa aldeia e eu não estava habituada a viver num sitio destes). Para além disso, não me faz muita companhia pois ele trabalha por turnos. Não gosta de ler, nem de tecnologia ou internet, não liga a telemóveis, nem a filmes que tenham muitos efeitos especiais. É ensonado, anda sempre desanimado por não ter o dinheiro que queria e é um pouco antiquado. Também não é de conversar muito e quando o faz é só de assuntos triviais, sem grande profundidade. Também cada vez que é preciso comprar alguma coisa para a casa, tipo torradeira ou algo do género, geralmente sou eu que tenho que comprar ou então pago a meias com ele. Pronto, ele paga o empréstimo que o banco lhe concedeu para a casa, a luz, água e gás. Eu pago a comida quase toda, roupas de cama, atoalhados, panelas, tachos, pratos, etc, a internet e a tvcabo. Quanto às despesas pessoais de cada um (médicos, medicamentos, roupa, cremes, telemóveis, vernizes, etc) cada um paga as suas. Raramente saímos. De vez em quando vamos a um shopping mas só para ver pois ele não compra nada. Lá paga, de vez em quando, qualquer coisa tipo menú económico para comermos lá. Mais nada. Ando triste e em baixo com toda esta situação. Não tenho ânimo para nada. Talvez por isso, perdi completamente o interesse sexual por ele. Passam-se grandes períodos (neste momento, 1 mês e meio) sem fazermos sexo. É que não sinto mesmo vontade nenhuma. Eu tento esforçar-me para sentir vontade mas não consigo. Não sei o que hei-de fazer. Estarei a exagerar? Tenho razão para me sentir tão triste e desiludida? Alguém me pode dar um conselho? Obrigada.

7 Comentários

  • safirinha 19 de janeiro de 2014

    Largue desse infeliz, ou a ‘infelicidade’ dele vai contaminar a sua vida, assim como já o faz com as suas economias.

    Resposta
  • Clau 20 de janeiro de 2014

    Já vivi isso no meu casamento 15 anos e arrependi de ter esperado muito tempo.Ele não vai mudar,vai piorar.Pede o divorcio e vai ser feliz.e não arruma filho dele não,é roubada

    Resposta
  • clau 20 de janeiro de 2014

    Esqueci de dizer,perdi a vontade tb de me relacionar com ele,homem sem dinheiro faz a gente perder o tesão.Foge dele o mais rápido possível,não tem futuro não.O meu ex tinha carro e moto e era tudo no nome do pai dele,pra eu não ter nenhum direito.Corree, salve a tua pele.Boa sorte

    Resposta
  • Gleice 22 de janeiro de 2017

    Complicado… Meu marido é um pouco assim também. Não compra nada para casa, quando compra, tem que planejar por longos períodos…. quando engravidei, colocou sua conta corrente conjunta com o outro filho do primeiro casamento para eu não ter direito a nada, quase não me chama para sair, viajar, etc… agora quer que eu assine um acordo de dissolução de união estável pra eu não ter direito a seus bens…. É muito triste!!! Sei bem o que está passando

    Resposta
  • Elaine 18 de dezembro de 2018

    Pegue um bom advogado e entra com processo contra ele. Você tem direito aos bens. Não seja boba, dando uma de mulher sábia, vai atrás do que é teu enquanto é tempo. Estou passando por momentos parecidos, só que tô acordando. Quer ser avarento vá viver na miseria sozinho.

    Resposta
  • Sonhadora 16 de março de 2019

    Caramba já faz um bom tempo como será que ela está agora. Eu também passo por isso. Tô em cima do muro.

    Resposta
  • Lynelane 22 de agosto de 2019

    Não se se ela já solucionou este problema. Amiga o primeiro passo para você seria procurar a orientação de um bom advogado, reunir provas dos emprestimos, pessoas que possam lhe servir de testemunhas, recibos, notas fiscais, etc. E o mais importante: não fale a ele das suas intenções. Depois que estiver tudo organizado, planeje sua vida e dê-lhe um belo dum pé na bunda deste mal caráter.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *