Sou casada, ela também, estamos apaixonadas

problemas de infidelidade e traição em relações

Sou casada há 1 ano e temos empresa juntos. Recentemente conheci uma mulher que me faz extremamente bem. Quando estou com ela não quero mais largar, não quero ficar longe, quero estar sempre com ela.
Ela é casada há 9 anos e tem filhos.
Ambos maridos são maravilhosos, não há reclamação!
Mas está difícil o fato de querer ter ela e não querer ser desfazer da vida que tenho, é complicado, tanto eu quanto ela pensa o mesmo. Não sabemos o que fazer :/
Sugestões?

Observação: Nos beijamos todas as vezes que nos vimos

7 COMENTÁRIOS

  1. Você diz que ambos os marido são boas pessoas e que se desdobram de forma positiva para manter o casamento funcionando, mas na minha opinião se você resolveu manter um caso paralelo, com alguém
    que está oferecendo um suporte emocional melhor na sua vida, mais sinergia e interesse sexual, em algum momento da sua vida vc terá que fazer uma escolha. É muito egoísmo da sua parte, querer que a vida se desdobre exclusivamente aos seus desejos, usando o seu marido para o que ele pode te entregar de melhor, ao mesmo tempo que vc mantém uma vida íntima paralela com outra pessoa. Libere o seu marido para ele ter as chances de encontrar uma outra pessoa, que esteja por inteiro com ele. Se ele é um cara de boa índole, vc deve isso a ele, pois sinceramente não sei como isso não pesa na sua consciência. O mínimo que vc deveria fazer é lhe contar a verdade para saber como ele vai lidar com essa situação. Coloque-se no lugar dele por um momento e procure refletir como vc se sentiria, caso o seu marido ficasse durante meses ou anos, mantendo uma amante. Não construa o seu relacionamento pela mentira, pois isso machuca pessoas que não merecem. Se o seu problema é não abrir mão de algum conforto material, pela sociedade que vc firmou com o seu marido, procure separá-la, construa o seu próprio espaço, para te permitir quebrar os vínculos que te prendem a esse casamento. Não se pode ter tudo na vida, portanto, faça as suas escolhas com sabedoria e ética.

    • Parece que seu marido é apenas útil mas não é o amor da sua vida. Vc não é a primeira nem a última a manter casamento por razões secundárias (família, patrimônio, sociedade, etc.). Imagino que o coitado deve viver sem sexo com vc e quando tem deve ser frustrante. Vc pode sufocar a paixão e viver frustrada. Pode viver sua história homossexual em segredo. Pode jogar tudo pro alto e escancarar sua realidade para uma sociedade que vai adorar a história e se divertir sadicamente com seu constrangimento e de sua família. Vc pode também dividir isso com seu marido. Pelo menos sua consciência pode ficar mais leve e talvez ele aceite sua condição.

  2. Como você acredita que vai construir a sua própria felicidade, levantando tantos alicerces no seu casamento baseados na mentira, no teatro, fingindo interesse por alguém que vc não mais deseja. Vc tem noção quantas pessoas sairão feridas dessa situação, se vc não for mais assertiva, redefinindo novos caminhos para ter as condições certas para reiniciar a sua vida afetiva. Quanto tempo vc imagina que conseguirá dar sustentação a essa traição, sem ser descoberta. Se ainda existe uma sociedade nas suas atividades profissionais com seu marido, um rompimento litigioso, pode implicar em problemas bem maiores, para o seu lado. Se vc conseguir realizar uma separação amigável, terá como administrar melhor as questões patrimoniais por bons acordos, por outro lado se a situação envolver traições descobertas, haverá fortes componentes emocionais nas decisões dele. Quando o meu irmão se separou da sua esposa, também tinha sociedades, mas a partilha foi tranquila, já que mantiveram respeito um com o outro até a separação. Hj o meu irmão inclusive a ajuda na parte administrativa da loja que ela ficou e se relacionam muito bem como um casal separado. Agora no seu caso, se ele descobrir essa amante, os vínculos de confiança estarão contaminados para sempre, nunca mais haverá respeito com vc.

  3. Se você for bissexual e ela também, o correto seria os maridos saberem. Se vocês forem homossexuais e casaram – quem sabe – por satisfação social, melhor se assumirem e buscarem com os maridos terem uma amizade, especialmente em nome dos filhos que tiveram.

    • Por aí é um bom caminho. Tenho um amigo cuja esposa é bi. Ela tem namorada que frequenta a casa e às vezes até fazem ménage. Aparentemente funciona bem. Cada caso é um caso.

  4. Se aa duas se gostam e gostarem também dis respectivos, mete o pé na porteira e abre o jogo com eles, vai q eles gostem da idéia ou senão cada um leva sua vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here