Divórcio, namoro ou casamento?

Casei com meu ex companheiro um ano depois de começarmos o namoro há distância.
Ele é estrangeiro e passou em um concurso na cidade em que eu vivia, lá que nos conhecemos três anos antes (mas só ficávamos de vez em quando embora eu já fosse apaixonada por ele).
Eu não queria me casar e nem ele, era cedo, nunca tínhamos morado sequer na mesma cidade, meu pai estava acamado mas foi preciso.
Combinamos que seria um casamento para continuar namorando. No primeiro ano eu passava 4 dias com ele e 3 na casa dos meus pais.
No segundo, passava todos os dias com ele mas dormia 2 por semana nos meus pais ou 1.
No terceiro e quarto, eu me mudei para uma cidade vizinha então só nos víamos nos fins de semana, por motivo de trabalho.
Começamos a brigar muito por ciúme da minha parte e da dele, porque eu me sentia deixada de lado.
Ele trabalhava e fazia doutorado e nos dias que estávamos juntos eu queria atenção total dele e ele dizia que eu o sufocava, etc, por isso também que mantive essa rotina de ver meus pais 1x por semana.
Há dois anos terminamos mas eu não me conformo, me sinto frustrada.
Ainda tem o divórcio para assinar e não tenho coragem.
Hoje me sinto culpada de tantas coisas, como de não ter vivido um casamento desde o começo, mas não era nosso plano!
Eu não sei se vivi um casamento ou namoro, talvez se eu entender isso melhor me conforme com o divórcio.
O que eu acho é que ele não tem motivos fortes para pedir, brigas todo mundo tem. Obg.

3 Comentários

  • Observador 29 de julho de 2019

    O problema do casamento, muitas vezes, é porque o conjugal deixa de ser prioridade porque há outras motivações: do seu lado estava havendo o convivio diário com seu pai, doente e da parte dele a questão de que casado a permanência no Brasil se tornar por maior tempo, semelhante as gestantes venezuelas terem os filhos em Roraima: mães de brasileiros, deixam a condição de refugiadas e, tenham um recomeço, sem sobressaltos, pelo que o governo venezuelano pudesse fazer com relação aos que deixaram o país!

    Resposta
  • Ana Paula 29 de julho de 2019

    Namoros que ocorrem a distância, mesmo os mais longos, dificilmente funcionam, uma vez que não se estabelece a oportunidade de se manter momentos de uma real intimidade. Não basta apenas ficar atrás de uma tela de um pc ou no celular, mantendo bate papo ou até praticando sexo virtual, pois a verdadeira percepção, se existe boa química de convivência, só ocorre de forma presencial. Não foi relatado de qual país o seu atual marido é procedente, pois dependendo da onde se criou, tem que se levar em consideração que a forma como ele está acostumado a enxergar o relacionamento, pode ser diferente da que vc está acostumada, como latina. Se ele chegou a discutir com vc , sobre o seu excesso de carência, dizendo que vc o sufoca, significa que ele não gosta de mulheres muito intensas, que cobra por atenção. Isso para ele tirou o clima do casamento, pois lembre-se que quando estavam na Internet, cada qual tinha seus espaços, mas a medida que vc ficaram juntos, passou a cobrar a maior parte dos espaços dele, para compensar as suas ausências, seja pelo seu curso ou pela necessidade de dar assistência ao seu pai. Sinceramente, não acho que esse relacionamento pode funcionar, pois já deu para sacar que vc precisa de um homem com sangue latino,que irá administrar melhor suas carências.

    Resposta
  • Ogaiht 30 de julho de 2019

    Vcs precisam sentar e estabelecer o q cada um quer. E assim chegar a um consenso comum. O q vc quer? Até onde vc aguenta? O q te faz feliz? Se ele puder atender, ótimo. Se não, paciência.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *