Deixando a vida passar diante os olhos

Nunca fui uma pessoa reclusa, tive uma infância saudável e repleta de alegrias. Mas, desde o começo da adolescência me tornei alguém recluso, já não me interessava mais fazer amizades ou jogar bola. Minha mãe dizia que era coisa da idade, e na maioria das vezes realmente é, então nunca me importei com isso. Acho que me isolar era meio que um mecanismo de defesa para me proteger de julgamento das outras pessoas (eu era um adolescente muito acanhado), e isso só gerou mais baixa autoestima e mais insegurança em mim. Acabei perdendo uma pessoa muito querida na minha vida por insegurança e sem saber lidar com o sentimento de amar (que é normal nessa idade) e até hoje não consegui superar isso muito bem. Hoje aos 16 anos, me vejo vivendo de passado. Continuo cometendo os mesmos erros de antes, embora tenha melhorando minha timidez. Eu sei que meu estilo de vida está errado, e eu sei como mudar, mas não tenho coragem para fazê-lo. Me sinto preso nessa zona de conforto que se estendeu tanto mas tanto que me sinto obrigado a desabafar a estranhos do que amigos ou familiares, porque acho que não vão querer ouvir meus problemas. Enfim, eu só quero seguir em frente e mais importante, ter forças para isso. A partir de hoje dou minha palavra que de que vou me esforçar mais para mudar a minha vida do jeito que eu quero, sair dessa zona de conforto e deixar o passado para trás, como dever ser deixado.

2 Comentários

  • Clarice 23 de janeiro de 2017

    eu também tive uma infância maravilhosa e fui sempre uma pessoa tímida. até hoje sou tímida, nos meus mais de 30 anos.

    o que me ajudou muito: TRABALHAR

    sim, comecei a trabalhar com a sua idade e isso me desenvolveu muito como ser humano. Aprendi a ter responsabilidade, a entender que o dinheiro não cai do céu e muito menos brota nos bolsos dos pais, aprendi a respeitar a opinião dos outros e respeitar hierarquia.

    outra coisa que me ajudou bastante, já com mais idade, foi fazer um intercambio. Aí você começa a ver que o mundo não é só aquilo que você vê à sua volta e muito além do que você vê pela internet.

    você é jovem, é adolescente… tem muito o que viver ainda.
    mas se você já enfrenta essas questões agora, é bom você já guiar sua vida para que você não se torne um adulto mais recluso ainda. Isso não vai lhe ajudar em nada, nem pessoalmente e nem profissionalmente.

    Resposta
  • Fábio 23 de janeiro de 2017

    Siga o conselho de Clarice….eu também tive adolescência semelhante à sua e hoje tenho 33 anos…e digo que o trabalho e o estudo é que me fizeram encontrar o meu valor como pessoa, à “descobrir meu lugar ao sol”. É importante você sentir que tem uma missão na Terra sabe….você se sentir útil. Mais para frente, quando evoluir nos estudos, verá que pode inclusive seguir carreira na área de pesquisa fazendo um Mestrado, por exemplo. Outra coisa importante é cuidar da sua saúde…caminhadas, corridas e musculação podem ajudar muito neste sentido… por fim, esportes radicais ou até mesmo inventar de querer subir um morro (rs)… enfim, tudo coisas que você pode fazer sozinho e que podem lhe ajudar a descobrir o sentido da vida !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *