Amigos coloridos ou…

Conhece-mo-nos, começamos a trocar mensagens, depois a dar uns passeios e ver uns filmes e acabámos por nos envolver e ficar numa das típicas relações sem compromissos.
Há coisa de 2 meses atrás disse-me que já não conseguia andar assim com alguém por quem não estava apaixonado e que já não havia mais encontros. Com isso apercebi-me do que realmente sentia…já não olho para ele como o amigo com quem posso passar umas tardes nos “amassos”, mas sim como alguém que me faz falta e disse-lhe isso. Ele achou que era melhor deixar-mos de falar por uns tempos para eu o esquecer e blá blá blá, eu nunca mais lhe disse nada, mas ele acabou por voltar a enviar mensagens e tentar marcar encontros, mas desta vez como amigos a sério…acho eu. Digo acho porque foi o que eu pensei no início, mas ultimamente tem andado a voltar às conversas de antigamente e a ser muito querido, mesmo com as respostas secas que tem levado, por isso fico na dúvida.
O que eu sei é que desde então nas duas vezes em que conseguimos combinar alguma coisa ele se cortou à última da hora.

Ler  Minha amiga não quer falar comigo e nem meu perdão

Preciso da vossa opinião:
O que é que ele quer?
O que é que significam estas falhas aos programas que combinamos?

4 Comentários

  • s 24 de junho de 2013

    Não, não há nada de sério nisso até prova em contrário. Ele deve estar sozinho e pretende ‘matar a dele’ às custas da bela e boa amiguinha que se permite a amassos sem compromissos e que ainda se declarou apaixonada por ele.
    Pois responda assim: mandou-me esquecer meu afeto por você e já esqueci. Aliás, não “fico” mais sem compromissos. E mantenha isso custe o que custar.
    Se ele desaparecer, vinha mesmo a troco de piadas; e se insistir por coisa de talvez mais duas ou três vezes, então sim pode ser que haja algo aí de importante (mas ainda assim, caso se aviste com ele, deve sonegar-se até que obtenha certezas de que não servirá de diversão na mão dele).

    Resposta
  • aff... 26 de junho de 2013

    Pois é. Ele se esbaldou em você por dois meses, depois enjoou e deu-lhe um belo pé no traseiro bem claro, informando que não estava apaixonado.
    Ou seja. Você para eletinha virando um estorvo. A louça descartável do fast-food que vai ao lixo, compreende?
    Ok. Passado o tempo, lá vem o gajo de novo. Com proposta de quê mesmo? Uhum… ah, sim, de ‘amizade a sério’.
    Mas afinal o que significa ‘amizade a sério’, moça? Toda amizade, para ser amizade de verdade, não deve ser séria? Você constitui amizades ‘não-sérias’, de mentirinha, amiga, ou com segundas intenções? Aceita-as se assim vierem? Não as desfaz se nota algo dissonante?
    É no que ele crê ao seu respeito, talvez. E é isso o que entendo de você.
    Ele sabe que você é bem fácil de ser confundida em Conceitos como os de Amizade, Namoro e Ficação, então ele ‘deixa no ar’ qualquer coisa, que você logo’aceita como normal’….
    Que seja.
    Diz você que o rapaz quer ‘amizade a sério’. Então responda: você quer Amizade com ele?
    Se a sua resposta for positiva, então é o seu sonho se realizando. E se não, minha cara, entenda que você está sendo procurada para que ele abuse à vontade de você um pouco mais, já que você deve ser das que confundem o nobre conceito da Amizade com o leviano conceito de Pegação.
    O que você não sabe é separar essas coisas, daí que os rapazes sempre podem abusar de você e chutá-la sem problemas quando enjoam.
    Amiga, reveja os seus Conceitos a modo de melhor situar-se. Amizades são sempre sérias e respeitáveis, ou não são nada. “Ficações” não são Amizades, mas meras “pegações” onde não há qualquer vínculo de compromisso, onde não há proposta de fidelidade entre os parceiros e onde está ausente um verdadeiro afeto amoroso de parte a parte.
    E o resto, querida, é invenção de gente que não sabe o que diz e nem como se comporta por aí. Ou no mínimo é discurso de gente mal-intencionada.

    Resposta
  • mayra 20 de julho de 2013

    Se desejo tirar o pó da casa, passo a pensar num aspirador de pó. E se não o tenho, preciso saber o que é esse aparelho, para o quê serve, onde posso encontrá-lo e o seu preço.
    Portanto vai depender de objetivos e de conhecer o que está à mão (ou não) para conseguir o que almejo.
    E se preciso remover o pó da casa, já sei que não devo ir atrás de uma batedeira de bolo, pois ela não se prestará a isso. Pois de antemão eu conheço o que esperar de uma batederia de bolos.
    Veja que não me preocupo com o que “deseja fazer” a batedeira de bolos por mim, mas com o que “eu” preciso e quero (dela, e de tudo o mais).
    Assim com os relacionamentos.
    Se desejo uma curtição, não hei de buscar num rapaz que esteja buscando uma parceira para namoro sério. Se desejo um namorado que ame de verdade, não adianta buscar na balada e no homem mais assanhado daquela noite, tampouco num que já esteja comprometido. Se desejo um amigo, não vou achá-lo num homem que esteja buscando curtições.
    Por isso, amiga, “ver” é fundamental para saber com o que se lida, sobretudo antes sabendo exatamente o que se busca.
    Veja que o rapaz “curtia” com você e que você se prestava a isso.
    Ora, menina. Acha mesmo que ele a respeita tanto assim? A uma jovem que se aventurava em “pegações” sem compromissos, tendo isso por bem normal?
    Não acredite que os homens sejam “tão liberais” assim, minha cara.
    Agora importa perguntar. O que quer você, afinal? Quer “curtição”? Quer um amor de verdade? Quer um amigo? Quer exatamente o quê desse rapaz? O que acha que ele pode oferecer a você?
    Respondendo a isso, saberá o que fazer dele e como postar-se diante do que ele diz e faz.
    Não tema. Tome tempo e sem pressa alguma analise muito bem o que ele diz.
    “Pelo tamanho da pagada deixada é que se pode estimar a altura do bicho.” Pense nisso sem pressa.

    Resposta
  • dalva 29 de julho de 2013

    Ele bem provavelmente quer voltar “às boas” do passado, ou seja, “de vez em quando e de graça”. Por isso a tem colocado assim, à mercê de desmarcar o combinado à ultima hora, para que você não pense logo que ele tem compromissos com você e, portanto, para que você não se sinta “estável e dona” de nada.
    Ora, negue dizendo: lamento, mas não tenho mais com quem quer que seja sem compromissos afetivos.
    E continue nisso até que ele ceda se for do seu interesse ter com ele algo mais formal, ou que ele afinal desapareça e vá tratar sobre “pegações” noutras freguesias – se é que já não o faz…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *