A irmã do meu marido me deixa louca

Olá.
Meu namorado (hoje meu marido) tem uma irmã especial e já faz alguns anos que eu não aguento mais a irmã dele. Ela é insuportável, grita de madrugada, já me bateu, fica fazendo barulho o dia todo. Sempre quando saio tenho que tirar tudo que é de comer de dentro de casa e colocar na área porque ela come tudo, etc, não tem nem como eu descrever para vocês tudo o que ela faz porque senão eu demoraria muito para escrever tudo isso . não aguento mais, não tenho preconceito com pessoas assim, e não imaginava que seria tão horrível casar com ele e ter que conviver com ela. Só quem conhece ela sabe o inferno que estou tentando descrever, eu não tenho psicológico para aguentar isso, choro muito, e às vezes fico tão stressada com as coisas que ela faz que me sinto entrando em depressão. Não sei o que fazer. Os pais deles já faleceram e a família não quer cuidar dela porque já sabem como é, eu já estou no meu limite. Amo ele demais e não quero ter que pedir para ele colocar ela numa casa de repouso para pessoas deficientes mas acho que é a única solução. Me sinto horrível em ter que pedir isso para ele mas, se ela não for embora eu vou ficar louca. Meu coração palpita, tenho medo de ficar com problema no coração de tanta raiva que ela me faz. Não sei o que fazer, por favor me ajudem, me dêem um conselho por favor!? Oq devo fazer?

5 comentários em “A irmã do meu marido me deixa louca

  • Fox 31 de março de 2019

    A cunhada não faz tratamento? Moças as pessoas com problemas mentais é bem complicado o convívio, eu tenho uma cunhada nesse formato é bem desgastante não aceita tratamento e faz um inferno na vida de todos eu tenho muita dó da minha sogra, chegou um ponto que não dá mais para convive e vão interna la em um sanatório, as pessoas tem preconceito em relação a isso mas esses hospitais são exatamente pra isso, meu conselho é interna sim ela pode ficar um bom tempo lá e sair mais tranquila, são profissionais e lugar que vão ajudar a ter uma qualidade vida.

    Resposta
  • decifrada 31 de março de 2019

    trabalhei em uma escola para portadores de deficiência mental, e sei bem do que vc esta falando, as vezes a limitação cognitiva e social do individuo é tão critica, que interna-la em um local especifico é o mais adequado, o difícil é achar esse local ainda mais gratuito, sua cunhada já esta aposentada por invalidez? talvez com o valor seja possível encontrar uma boa clinica particular, desumano seria larga-la na rua ou em qualquer clinica , sei que vc é seu marido não quer o mal dela, mas ele precisa ter uma mente aberta e entender que existe uma diferença entre cuidar e suportar, no caso vc esta suportando e não cuidando, e deixa-la em uma clinica de repouso seria até o mais adequado para ela.

    Resposta
  • Luna 1 de abril de 2019

    vc precisa conversar com ele e expor seu sofrimento. acredito que ele vai entender que É preciso interna-la, muito triste tudo isso, mas, vc nÃo pode se anular por uma pessoa numa situaÇÃo dessas, vc merece ser feliz. deus te abenÇoe!

    Resposta
  • manuela 1 de abril de 2019

    Pessoas incapacitada demais, mesmo fazendo tratamento, devem de fato ser abrigadas em casas de saude. Não resta outra coisa caso você deseje uma vida saudável e ‘normal’. E se o seu marido pensa de outro modo, mas aposto que a maior carga fique nas suas costas quanto à irmã dele, ora, ele que passe a cuidar sozinho disso. O que ele quer é que você passe a ocupar o lugar dos pais dele nessa situação, porém, minha amiga, você felizmente não tem filhos doentes, de sorte que essa carga não é sua. Recuse-se a isso em nome da sua sanidade. Pessoas com problemas dessa natureza costumam tornar o ambiente ‘insalubre’ em todas as áreas, como você deve ter notado. Não são doenças contagiosas, mas ‘contagiantes’. Então pessoas assim são para profissionais e casas especializadas porque não conseguem interações adequadas e e porque lá recebem os cuidados que precisam sem precisar que a vida dos familiares vire de cabeça para baixo ante as demandas e as perturbações que geram.
    Se a residência (imovel) é de vocês dois, o seu marido deverá ceder: ele não pode impor nada na sua vida e numa casa que é sua também. E se é apenas dele a moradia, nesse caso não restaria outra coisa, caso ele resista, senão você mesma romper o casamento e libertar-se disso saindo daí.

    Resposta
  • Yudi 1 de abril de 2019

    É um assunto delicado, pois imagino que vc até o momento não discutiu alternativas com seu marido, sobre essa mulher, pelo receio de se demonstrar insensível, uma vez que ela é especial. Acredito que você fique insegura quanto a abordá-lo sobre esse assunto. Você tem razão em se sentir tão invadida no seu espaço, estressada, pois não há quem aguente conviver com uma pessoa desestabilizada e que fica o tempo todo rompendo com o silêncio e o equilíbrio do lar. Você já imaginou se tiver um dia um bebê, fazer essa que você vai ter que trocar o dia pela noite para os cuidados com a criança, tem dessa mulher o tempo todo ampliando a sinfonia de gritos, não deixando você repousar? Se a família não quer oferecer o seu suporte presencial, nesse caso deveriam se reunir e pagar uma clínica para ela ser internada. Essa mulher recebe algum auxílio financeiro do Estado? Acho que você deveria, manter um diálogo com seu marido e encarar de frente esse problema. Você deveria dizer a ele que está entrando em depressão, por não conseguir lidar com essa situação. Vá antes a um psicólogo, para ele entender que não se trata de chatice, mas de algo sério que ele tem que resolver.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *