par perfeito

Meu marido é muito estupido

Desabafa > Desabafos Femininos > Problemas no Casamento > Meu marido é muito estupido

Sou casada há 4 anos, tenho um filho muito lindo, um marido muito bom, o problema é que ele é muito ignorante, fico muito triste porque na mesma hora que estamos bem por qualquer coisa ele explode e me trata mal, grita comigo, me fala horrores, e eu fico muito chateada, nessas horas eu quero largar tudo, eu queria tanto que ele fosse um homem mais sensível, carinhoso, que mostrasse mais sua preocupação por mim, em me fazer feliz, as vezes acho que ele esta comigo só por causa do filho, sei la. Vejo tantos homens carinhosos que fazem de tudo para agradar a esposa. somos jovens e eu gosto tanto de sair e se for olhar ele só fica em casa, eu queria que ele fosse mais presente.. quero ter um casamento feliz, só que não vejo empenho dele, sou uma pessoa alegre, carinhosa, mas também gosto de atenção..ahh sei la queria ouvir alguma coisa legal.. o que eu posso fazer para tentar mudar essa situação?

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading ... Loading ...

Respostas (20)

  • s

    Primeiro precisa analisar: ele sempre foi assim? Já sabia antes de se casar que ele era meio insensível e bruto?
    Se a resposta for sim, sua decepção era esperada.
    Mas pode modificar algumas coisas para sentir-se melhor. Se o caso, primeiro comece aceitando que ele não faz por mal, mas porque ele é assim. Depois, com calma e com muita serenidade, pode tentar falar com ele, dizendo do quanto fica triste quando ele explode, e que se angustia inclusive porque o seu garotinho pode se sentir afetado com essas explosões, etc.
    Paralelamente pode buscar ajuda na sua Igreja, se frequenta uma, junto ao Pastor, ao Padre, etc. Há grupos de ajuda para casais na maioria das igrejas, e a ajuda começa quando um dos dois vai em busca. Ainda, se possuir uma rede médica conveniada, pode tentar uma terapeuta, que inclusive pode sugerir um acompanhamento de terapia de casal.
    Todas essas providencias podem demorar um pouco quanto ao resultado, mas podem valer a pena.
    Se nem assim conseguir sucesso, não é possível que continue a viver magoada e assustadiça. Inclusive o seu filhinho precisa de um ambiente calmo e saudável, ou poderá ser afetado. Então a saída será romper o casamento e reiniciar a sua vida. Deve estar preparada previamente caso isso seja decidido por você: precisa pensar que deverá sustentar-se e ao garoto, por isso essa é uma decisão que demanda preparativos da sua parte, se possível em silêncio para que não sejam atrapalhados.

  • E

    é realmente horrivél pois estou passando o mesmo

  • ana paula

    olá meu nome e ana paula tenho 28 anos e meu marido 64 nois tivemos um caso mais devido a ignorançia dele eu fui embora da vida dele acabei conheçendo outra pessoa casei e tive um filho mais ñ deu certo acabei voutando pro mesmo mais devido a separaçao e o filho q tive nois dois tivemos muitas brigas jogaçoes na cara e eu acabei ficando mal estou com sistema nervoso abalado mais ainda gosto dele mais ñ quero largar ele mais tem horas q lembro das brigas q pasei com ele das palavras e acabo ficando mal oqeu faço me ajude.

  • marisa

    IMPORTANTE:
    OI AMIGA, olha… sou casada a 7 anos, casamos porque estava gravida, e entao tentamos…. mas ele sempre foi nervoso… por nos mulheres ser muito flexiveis eu mudei mto, e achei que le mudasse…
    criamos uma empresa juntos… somos bem sucedidos, mas questao de amor… sou uma mulher frustrada…. ele me da presentes… e um cara bom… mas na maioria das vezes ele me maltrata, me humilha… e pior.. na frente dos outos. e sabe o que e pior? ele nem pede desculpas depois. e pior ainda? se eu questiono o que aconteceu… sabe o que ele diz? vc mereceu!!!. e ai?
    nao me separo porque tenho medo do desconhecido… acho qu todas nos mulheres casadas temos!, ele ja me agrediu verbalmente, fisicamente…. sou uma mulher linda… eu sei… mas nao queria comecar de novo… e outra ele nao transa comigo… isso vem desde o comeco…. adoro sexo… acho que sou uma mulher dierente por gostar tanto… mas se passa meses e nem nos tocamos… tenho raiva disso… pois sempre parto pra cima… mas nao rola… tenho apoio de um monte de gente para me separar… mas tenho medo do desconhecido… ainda sou mto jovem tenho 28 anos… mas sou mto frustrada no amor…ele e totalmente ausente… temos um filho de 6 anos… nao sei o que fazer…. meu sonho sempre foi ser feliz estar casada…. mas nao sei mais de nada…. me ajudem…

  • gilene

    Marisa,
    Um homem aprende pelo amor ou pela dor. Quando chega nesse ponto, há ainda uma ultima alternativa por parte da esposa: gere despesas para ele; não para irem à falência, mas compre coisas boas para você e para seu filho. Compre calçados e roupas, langeries, perfumes, cabelereiro, etc., tudo de muito boa qualidade.
    E ande sempre arrumada: unhas, cabelo, um perfume bem suave, uma roupa discreta mas que a valorize.
    Não o procure mais para sexo por agora. O ideal seria ele ‘acordar’ e passar a tomar atitudes ‘antes que vire ex-marido e esfolado no dinheiro’…
    Bem, isso a mente dele se encarrega de fazer e não é você que vai falar, certo?
    Um gesto vale mais que mil palavras. E talvez sem palavras suas ele passe a temer que você vá embora; mas não somente isso: ir embora talvez, mas depois de ter gastado os tubos em dinheiro…
    Não pense que isso se funcionar, será em uma semana, etc. Pode demorar para ele ‘acordar’ ou dar o braço a torcer, e até lá ele pode reagir.
    Resista. Seja forte e pense sempre que tem um objetivo sério nisso para você e seu filho.
    Não deixe que ele perceba nada. Faça ‘cara de paisagem’, fale pouco, não faça cobranças, não abra discussões, encerre-as se elas ocorrerem, e prossiga sem esmorecer. É uma luta que somente uma mulher sabe lutar quando põe na cabeça!
    Mas se ele a agredir fisicamente, então o caso é de procurar socorro por via das instituições públicas ou de ir embora da vida dele. Ambas as coisas não têm volta e nem devem ter, mas há homens que ‘precisam enxergar claramente’ certos ‘erros’.

  • gilene

    Ana Paula,
    Quem sabe algumas das sugestões à comentarista Marisa, logo acima, não possam ser uteis também a você.
    Querida, você é bem mais jovem que ele, e ele reage assim por saber que é bem fácil ele perder numa comparação que você possa fazer dele com outro homem!…
    Portanto, você está com a faca e o queijo na mão!
    Enxergue isso, acredite nisso e vire o jogo um pouco para o seu lado. Você pode! Você consegue!
    Não deixe que ele perceba, é claro. Você é mulher… e sabe como fazer isso sem usar palavras. Você sabe, a mente de um homem ‘explica’ a ele muitas coisas quando a mulher se cala…

  • cynara

    Posso apenas deixar minha experiência aqui, com um ex-marido violento verbal e emocionalmente.
    No dia seguinte à primeira noite de casados, ele mostrou o que era. Chegou às duas da manhã.
    E não parou mais de chegar tarde.
    Cansei de quase implorar a ele a presença dele em casa, cansei de pedir que ele fosse mais respeitoso não chegando tarde, cansei de pagar as contas sozinhas enquanto ele chegava sempre tarde em casa. Eu passava os finais de semana sozinha, ele só Deus sabe onde.
    Em seis meses de casada o meu maior desejo nesse mundo era separar-me e eu já pedia a ele que fosse embora viver a vida dele e que me desse a separação, mas ele negava. Dizia ele: fora de qualquer hipótese uma separação, e se você ousar entrar com o litígio, apresentarei a minha defesa, o processo vai rolar uns 20 anos e juiz nenhum vai conceder isso a você.
    E assim passaram-se mais de três anos.
    Um dia não pude mais e resolvi ameaçar com um blefe, mas não para que ele se modificasse – isso era sem qualquer esperança, mas para que ele me desse o divórcio. E assim um dia anunciei: há meses tenho escrito cartas sobre o seu comportamento como marido; escrevo essas cartas relatando todos os detalhes, coloco num envelope e envio registradas com a data oficial dos Correios para uma pessoa que você não conhece; essa pessoa guarda essas cartas e já possui ordens a respeito delas, e eu o aviso agora: no dia em que eu falecer ou se algo de estranho ocorrer comigo, essa pessoa tem ordens de levar essas cartas a uma Delegacia de Polícia para que alí sejam abertas. Nelas, eu relato com detalhes e minucias todos os danos morais que tenho sofrido, o quanto tenho chorado, o quanto você se comporta como canalha, os horários que você chega em casa, as contas que saldo sozinha, enfim todas as suas atitudes e todo o seu comportamento execrável e indigno. Não pararei de escrever tais cartas. Porém, se me der o divórcio, eu entrego todos esses envelopes a você, lacrados como estão, e faça deles o que quiser.
    Nunca mais disse uma palavra a ele desde aquele dia, exceto um bom-dia ou às vezes nem isso.
    Ele nada disse após eu ter falado isso a ele, mas percebi no rosto dele um abalo. Ele realmente temeu. E então tive esperanças.
    Não foram em vão. Em três meses após isso, ele me concedeu um divórcio amigável.
    ‘As cartas’, ele perguntou à saída do Tabelião. Respondi: nunca existiram talvez. Mas apenas ‘talvez’… Quem sabe, não é mesmo? E passe bem!
    E saí. Livre como nunca. Quando cheguei em casa, chorei de alegria.
    Não tínhamos bens em comum, embora ele possuísse alguns imóveis alugados, dos quais nem quis saber! E não tivemos filhos graças a Deus. E enfim foi assim que fiquei livre daquele crápula.

  • JOSY

    ESTOU PASSANDO POR ISSO E PRECISO DE AJUDA

  • s

    Josy,
    Não se deixe abater jamais! Uma mulher possui muitos recursos para que possa ‘mudar o jogo’!
    Se ele a agride com palavras, não retruque: é o que ele quer como pretexto para prosseguir com as discussões. Faça das tripas o seu coração, mas não responda. Se ele se irritar com o seu silêncio, apenas saia de perto (ou de casa). Vá à casa de um parente ou de um vizinho, etc., opis sobretudo é seu direito preservar-se fisica e emocionalmente.
    E se ainda assim ele persistir, procure ajuda por outros meios. Os Legais. Vá ao Forum da sua localidade e fale com a Assistente Social. Ela poderá ajudá-la com orientações que avaliará antes de tomar qualquer medida.
    Você não é obrigada a nada. Pode sempre antes pensar no que vai fazer e se deve após ouvir.
    Você pode também falar com um advogado, que poderá exigir uma medida judicial de manutenção de distancia física dele em relação a você, concedida pelo Juiz. Caso ele descumpra, será imediatamente detido. Essa medida geralmente é vinculada ao divórcio. As faculdades de Direito disponibilizam serviços gratuitos de atendimento à população. Não custa ouvir o que se pode fazer a respeito e analisar antes de tomar qualquer medida.
    Outra providencia interessante seria consultar na internet o site do MADA. Acesse mada pont com – Busque um endereço próximo à sua localidade e compareça pessoalmente para obter orientações. Isso tem ajudado muitas mulheres vítimas de violencia emocional e/ou fisica.

  • sirlei

    sirlei to dizesperada tambem não sei mais o que fazer: meu marido é boa pessoa mas mi sinto desprezada por ele, quando falo cm ele, ele parece não escutar seja na pergunta ou resposta parece estar com uma rolha n ouvido , só vale o que ele fala , eu sou muito sensivel e começo a chorar , não to sentindo bem na presença . Ele retruca tudo que falo . Ele é muito autoritario só ele é quem sabe e pode ele mi disse que uma pessoa que sabe mandar vale por dez que sabe obedecer , faço tudo para agradar e não agrada . Quando ele pede algo , ele si acha que ta mandando . Nao sei si é culpa minha mas toda vez que ele pede algo eu fiz para ser agradavel e agora quando nego ele briga comigo e diz que tudo ele tem que mandar si eu não faço . E quando eu estudando ou fazendo alguma coisa ele que eu só faço as coisas na hora que ele precisa d mim. ele quer que eu esteja d prontidão para qualquer hora que ele precise. Não consigo fazer as minhas coisas pendente porque ele não deixa. To dezesperado mi ajude por favor ..obrigado.

  • miriam

    Não quero generalizar, mais casamento nem parece coisa de Deus.
    Se eu soubesse que casar era viver um inferno tinha ficado solteirona.

  • salles

    Me encontro na mesma situação.Sou casada ha 5 anos e não aguento mais meu marido. QQuer assunto que ele não goste é motivo pra gritar, me xingar, tenho até vergonha dos vizinhos do predio e quanto mais peço pra ele se acalmar, ai é que ele grita, fala que é pra todo mundo ouvir mesmo…Já conversei várias vezes, só adianta nos primeiros dias, depois ele volta com a grosseria…to totalmente desgostosa…tenho uma filha de 12 anos que não é dele, e nem minha filha ele respeita, fala que nao é pai dela e que não tem obrigação nenhuma de sustentar filho que nao é dele…muito pra baixo…

  • bruna

    gente sou casada a 1 ano, e meu marido sempre esta muito cansado pra mim… ele trabalha em 2 empregos sai sempre as 8h da manha e chega 00h,. o problema é q ele nunca tem tempo pra mim, ele dificilmente me procura, estou sempre ligando e mandando msgs carinhosas, mas ele nem se quer me responde, ele mau me liga e sempre chega em ksa de mau humor, me casei por amor, mas nesse momento nem sei se sinto amor por ele, a cada dia q passa so vem diminuindo o sentimento, ele sempre autera o tom de voz ao falar comigo e acabamos brigando, e ele sempre diz q é o jeito dele, pede desculpas mas acaba fazendo d novo. nao sei + oq fazer acho q ele nao me ama +, sera q ele tem outra?

  • s

    Sirlei, Bruna e Salles,
    A primeira pergunta a vocês é se os seus respectivos esposos usam/abusam do alcool. Muitos maridos alcoolistas (a maioria, aliás) é extremamente agressivo em casa, tanto emocional como fisicamente. O Alccolicos Anônimos tem salvados vidas, casamentos, alcoolistas e pessoas próximas de alcoolistas. O site na internet, mediante os telefones de linha de ajuda, seria o sugerido para reencaminhamento aos familiares afetados pela presença de um alcoolista em casa.
    Notem que um alcoolista é o indivíduo que bebe todos os dias, não ficando muito bêbado necessáriamente, mas que não passa sem alcool um dia sequer.
    Nesse aspecto, mesmo a ‘cervejinha gelada’, se diária, deve ser levada em consideração.
    Se não for esse o problema, talvez a solução seja impor limites dentro de casa. Um site de ajuda seria MADA, onde obteriam ferramentas de suporte para administrar a situação em casa, onde dificilmente a mulher tem condições de lidar sozinha. Então ela sofre e também os filhos, que às vezes ela não consegue proteger. Enfim há muita dor envolvida em situações assim.
    Ambas as associações aqui sugeridas têm caráter gratuito, não-religioso e zela pelo absoluto anonimato de quem estiver buiscando ajuda.
    Espero ter sido de ajuda.
    Boa sorte!

  • Rita de Cassia

    Bom dia.tambem vivo estas historias horrorosas.sou casada a 20 anos. E vivo 20 anos com esse monstro. E importante que voces mulheres, saibam
    Que somente nos temos culpa de todo estes desrespeito para conosco.porque nos permitimos ser tratadas assim.

  • re

    sou casada a quase quatro anos com um homem mais jovem que eu, to tendo problemas porque ele nao assume as contas da casa, grita comigo o tempo todo ,fala palavroes, xinga, só nao me bateu ainda nem sei porque,o pior é que ja tentei de tudo, e nada que faço da certo, ja procurei igreja,pastor, ja fiz greve de sexo( ele nem liga),ja dormi separado (acho que ele até gosta)je tentei dialogar e ele nao diz uma palavra nao sei mais o que fazer

  • s

    re,
    Só há uma coisa a fazer. Separar-se dele. Ele não vai compreender o quanto você investiu no relacionamento e o quanto vem investindo. Talvez um dia, mas não agora, querida.
    Deixe-o antes que ele passe a destratá-la ainda mais, pois ele já não a considera digna de quase nenhum respeito e nem a trata como deve ser tratada uma mulher por um homem.
    Ele não é ‘homem’ no relacionamento para você, e nem a vê como ‘mulher’ aí.
    Não quer a sua vida de volta? Pois então. Livre-se desse relacionamento minado e tóxico, querida.
    O Tempo não pára. Querm sabe não encontra o novo amor logo mais?

  • s

    Rita,
    Não há ‘culpas’, querida, mas Responsabilidades. Do mesmo modo que o companheiro violento é responsável pela sua violencia, a companheira deve responsabilizar-se por suportar tais comportamentos.
    Uma coisa é certa. Para tudo há saída. Para tudo. Pode ser difícil, mas não deve deixar de ser empreendido por conta de parecer ser tarefa grandiosa demais.
    Somos testados. Não sabemos a força que possuímos até que precisemos dela. Por isso que empreender meios de sair de situações prejudiciais e indignificantes é sempre válido e nunca é tarde.
    Pode não ser fácil. Mas talvez dê resultados. Ao menos no futuro quanto ao eventual remorso pela inoperancia.
    A vida vale a pena. Amar-se e à própria existência parece ser impossível quando se sofre com a violencia, mas a vida vale mais. É única e pessoal. Não se pode deixá-la escoar como se pelo ralo, ao modo da água de dejeto, sem pagar altos preços desde já.
    Informação é a primeira palavra. Reflexão é a segunda. A terceira é a Ação.
    Não há Culpas. As mulheres vitimadas por homens embrutecidos não são a Causa da violencia, não Curam esses homens, não Controlam esses comportamentos. Mas têm o sagrado direito a libertarem-se disso.
    Boa sorte!

  • Angel

    Miriam e Rita de Cassia….
    Penso com vcs…..enfim vivo pedaço de cada uma dessas historias. precisamos mudar.Abraço

  • VAnda

    Me emocionou, passo pelo mesmo. Cada um desses depoimentos parecem escritos por mim. O q voces fizeram para solucionar o problema?